Mangá² #221 – Finais Ruins

Sejam bem-vindos ao episódio 216 do Mangá², o podcast semanal de mangás que 


Neste programa, Judeu Ateu, Estranho e Luki fazem mais o episódio clássico do mangá², desta vez conversando novamente sobre finais de mangás, especificamente aqueles de natureza ruim. 

Contato
Sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios, críticas, qualquer coisa! O email para contato é: contato@aoquadra.do

Feed | iTunes

Cronologia do episódio
(00:20) Finais Ruins
(49:45) Leitura de Emails
(1:06:30) Recomendação da Semana – Mugen Utamaro

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

9 Respostas para “Mangá² #221 – Finais Ruins

  1. Achei todo o arco final de Soul Eater estranhão. O autor no arco da Baba Yaga estava no ápice, desenvolveu bem os protagonistas e até os secundário, estava com uma baita fluidez na história e soube colocar e montar os perfeitamente os conceitos. Mas depois… Parece que ele simplesmente desaprendeu, rolou uns bullshit do cacete, e todo a parte na lua é tão chata. O final em si não achei TÃO ruim, achei minimamente coerente, mas nada extraordinário.

    Engraçado que em Naruto, na minha visão, toda a parte do Sasuke vs Naruto é muito boa, é instigante, prende e é até que um belo payoff, entregou uma coerente resolução pro Naruto e Sasuke. Porém… O arco inteiro final é massante, nem sei o que Kishimoto tava querendo ali.

    HxH parece ter tido um final já, esse arco do Continente Negro parece um extra. Berserk é um que eu penso a importância do final, parece precisar muito da conclusão de Griffith e Guts, e tem isso de destino/liberdade, deus/humanidade, como diabos o Miura vai fazer uma conclusão satisfatória disso? Magi foi meio assim, criou conceitos nunca respondidos na humanidade e o payoff não foi o esperado.

    Dois Irmão é incrível. Foi tão pessoal para mim que até tento esquecer dela. Tenho uma relação bem semelhante, e a obra deu diversos socos no meu estomago sobre atitudes minhas e fez eu relembrar/repensar sobre algumas coisas. Família é uma parada complicada.

  2. Dando uma passagem rápida sem spoiler de um mangá que eu achei que o Luki iria comentar mas não comentou, que é Hunter x Hunter, tem um capítulo muito especifico no fim de um arco que parece que é o final, se o Togashi tivesse terminado o mangá ali seria 10/10 e não teria problema, apenas teria muita coisa em aberta que o Togashi jogou ao longo de HxH que não teve um payoff, mas o final é tão redondo para o que ele vinha desenvolvendo a 15 volumes que se tivesse acabado não teria incomodado? Só que ele continua, só que curiosamente continua bem, tanto que o arco atual de HxH está ótimo, e parece que o mangá tem tanto gás agora quanto ele tinha a 7 anos atrás, o trabalho de roteiro e curiosamente a arte dele tá tão bom quanto já foi um dia, ou ainda melhor, o que comparando com o exemplo de YYH que o Estranho citou torna ainda mais interessante, que em YYH apos o Sensui o Togashi tava ativamente tentando cancelar o mangá dele mesmo, so que a Jump queria que ele continuasse, e olhando pra HxH que é o contrario, é muito interessante a reflexão dos duas obras.

    E sobre Bleach x Naruto, por mais que eu odeie ter que elogiar naruto, principalmente depois daqueles ultimos 20 volumes, Naruto é sobre gerações, sobre a passagem de época e de erros que se repetem ao longo das gerações, então aquele ultimo capitulo fanservice merda dele pelo menos faz sentido, não é bom, mas faz sentido, e Bleach é so qualquer bosta que o Kubo jogou pra tentar arranjar algum pós-sustento pra historia, spin off ou o que seja.

  3. Engraçado que quando vocês falaram de Uzumaki eu estava lendo o exato último capítulo HAHA Abençoado seja o timing.

    Falando sobre o mangá, eu achei o final muito parecido com o Melancolia filme do Lars Von Trier. Aquele clima de final pré-anunciado que mesmo você torcendo contra acaba vendo a impotência humana, não gostei tanto assim como as pessoas gostam de Uzumaki mas achei que ele se encerrou do modo mais lógico.

  4. Não sei se vocês viram o final de Soul Eater no anime. O “soco da esperança”, nome dado ao golpe que Maka desfere no Kishin para derrotá-lo no último episódio, é provavelmente um dos piores finais que uma história poderia ter. É o famoso (e desprezível) final que usa do Deus Ex Machina para finalizar tudo num único episódio.
    E fico feliz que vocês tenham citado a merda do final de Fairy Tail. Ainda sinto comichões quando me lembro daquilo.

    Gugu Liberal de novo. Tudo bem com vocês aí?

    Slowpoke Report: Koe no katachi (oneshot)

    De fato, a história é muito bonitinha, redondinha e perfeitinha, como disse o Rubio no cast de Opiniões populares. É um capítulo que me deixa feliz pela qualidade, e triste por saber que a série do mangá é ruim o bastante pra te fazer desconsiderar tudo de bom que a história teve. Pra não sentir isso (de novo), vou ficar apenas com o oneshot.
    ————————–

    Slowpoke Report: Tamen De Gushi

    Fazia tempo que não me divertia tanto com uma história. As interações entre todo aquele grupo de amigos são muito parecidas com as que você espera em um grupo de estudantes comum, principalmente nos momentos de levar a vida numa boa. O romance é desenvolvido beeeeem aos poucos, e de alguma forma ele não é o único foco, o que torna a leitura bem agradável. Se Tamen De Gushi acabasse no último capítulo lançado, não reclamaria, por todo o feeling positivo que tive lendo esses capítulos curtinhos.
    —————————————–

    PS: Li o volume 1 de Witches e já adianto que perdi todo o meu preconceito sobre mangás que não contam uma única história.
    Que mangá bom da poha! O traço, as referências, a atmosfera das histórias, tudo me agradou. Esse é um mangá que dá vontade de comprar o próximo.

    PS2: Comecei Vinland Saga (junto com um amigo que é muito fã de história e de Vikings). Estamos adorando o que já vimos nos primeiros 3 volumes.

  5. Não foi exatamente uma recomendação, mas li liar game e achei o final bom e faz sentido dentro da obra, só acho que não precisava daquela ultima pagina que meio que parece um gancho pra um próximo capitulo, de resto gostei do mangá como um todo e não teria medo de remendar pra qualquer pessoa.

    No podcast de boruto lembro que alguém comentou que tinha que ter na historia um cachorro com uma pro tesse mecânica

  6. Se tem uma coisa que é sempre algo complicado de se discutir, são os finais. Em qualquer mídia que consumimos sempre esperamos por algo que nos deixe com uma sensação prazerosa no fim. Logo, penso que o desfecho seja um dos aspectos mais importantes para que uma história seja bem considerada (ainda mais quando se pensa na ideia de recomendação, de passar aquela experiência adiante, e na releitura).

    Mesmo sendo bastante relativa a qualidade do desfecho de uma história, sinto dizer que minhas experiências com essa mídia não são das melhores, quando se trata de finais. Sempre fico com a sensação de que algo está faltando, que a construção foi demasiadamente longa para algo tão simples no fim. É algo bastante complicado e que sempre rende discussões e mais discussões acerca.

    Vou deixar aqui nomes de mangás que me decepcionaram muito no fim (tentando não repetir os que vocês citaram e sem entrar em spoilers sobre os mesmos).

    Finais ruins:
    Ao Haru Ride, Beelzebub, Billy Bat, Bokurano, Claymore, Hungry Joker, Innocent, Inuyashiki, Katekyo Hitman Reborn!, Kokou no Hito, Kuroko no Basket, Love Junkies, Magi: The Labyrinth of Magic, Monster, Nurarihyon no Mago e Paradise Kiss.

    E entrando na brincadeira de mangás em lançamento que possivelmente terão um final ruim, deixo aqui minhas apostas:

    Black Clover, Dragon Ball Super, Nanatsu no Taizai, One Piece, Owari no Seraph, Platinum End, Prison School e Shingeki no Kyojin.

    Quero acreditar também que Dorohedoro terá um final bacana, mas tá difícil!

  7. Eu gosto dos finais de Jojo’s Bizarre Adventure,pq cada parte fecha os personagens e temáticas de maneira satisfatória.
    E fica interessante pq ao ler a próxima parte,no meio dela, me pego pensando como ele poderia fechar a saga sem contar essa historia,é um autor que entendo muito bem suas temáticas e sabe dar continuidade,à algo que parecia finalizado,sem parecer desnecessário.

  8. Olá pessoal do Aoquadrado, assim como fiz com alguns podcasts relacionados há animes e mangás, resolvi escutar todos os podcasts seus, e bem… Missão cumprida(bem, não todos, mas quase todos, ainda não escutei alguns Enquadrados). O que mais gosto de ver em podcasts quando eu faço maratona é ver o quão eles evoluíram, e com vocês não foi diferente, foi massa ver a evolução da forma crítica como vocês avaliaram as obras com que estavam discutindo, e é gostoso encontrar pessoas hipsters e elitistas com mangás como eu, é bem confortante, embora eu vire o olho algumas vezes quando vocês falam a palavra “desconstrução” pra tudo, mas bem… Não julgo, porque eu sou igual. Inclusive história engraçada que eu já fui muito zuado por usar essa palavra pra tudo, inclusive pra jogos como Spec Ops, onde eu citava que ele “desconstruía Uncharted e COD”.

    Voltando a falar da jornada de escutar vocês, tô escutando desde de junho de 2016. Tempinho longo… E desde então você moldaram muito meu gosto por mangás, Li desde as obras do Urasawa, onde perdão Estranho, fico com o Judeu por Monster ser MUITO melhor que 20th Century Boys(inclusive Pluto é melhor que 20th). Li também todas as obras scaneadas do Inio Asano, desde one-shots como da menina monstra, Nijigahara Holograph à Punpun. E nem tem o que dizer muito pra acrescentar sobre o Asano, um sujeito fantástico que faz obras excelentes, inclusive fiquei muito impressionado quando assisti o Manben do Urasawa onde ele foi entrevistado. Li também Kokou no Hito, onde se tornou o terceiro mangá favorito. Li Onani Master Kurosawa, Biomega, Abara, Inside Mari, Aku no Hana, tô lendo Chi no Wadami, inclusive o que estão achando da obra? Gosto bastante de como o Oshimi explora e extrapola relações entre nós humanos, desde amizade, até relações familiares, onde ele extrapola com o amor maternal de uma mãe se tornando até obsessivo, está se encaminhando pra ser a minha favorita do autor(falta ler Happiness, mas vou esperar chegar no Brasil).

    Li também Eden, onde é muito legal ver a opinião do Judeu mudando com o tempo, onde ele pensa que se perde na metade pra frente à hoje em dia, onde ele acha uma das melhores coisas que ele já leu. Enfim… um pouquinho do que eu li, tem muito mais, mas pra não ficar grande vou me abster por enquanto, porque pretendo mandar mais comentários daqui pra frente.

    Pra finalizar, gosto de observar como nós humanos mudamos com o tempo, e com vocês não foi diferente, são pessoas bem diferentes da do começo do podcast. Apenas um comentário massageador de ego pra vocês, boa sorte com o podcast!

    E Judeu, continua achando Dorohedoro seu mangá favorito?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s