Mangá² #169 – Onani Master Kurosawa

Sejam bem-vindos ao episódio 169 do Mangá², o podcast semanal de mangás que é uma metáfora para nada.


Neste programa, Judeu Ateu e Estranho fazem mais um mangá enquadrado, desta vez cumprindo o dever e finalmente analisando o clássico-cult: Onani Master Kurosawa.

Neste programa, damos nossa impressão sobre a obra, o que ela faz bem, no que ela falha, analisamos personagens, metáforas, simbolismos, e comentamos o porquê gostarmos tanto dela ! Tudo isso com spoilers!

Contato
Sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios, críticas, Recomendação do Ouvinte em áudio, qualquer coisa! O email para contato é: contato@aoquadra.do

Feed | iTunes

Cronologia do episódio
(00:28) Onani Master Kurosawa
(59:00) Leitura de Emails
(01:06:00) Recomendação da Semana – Gleipnir 

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

16 Respostas para “Mangá² #169 – Onani Master Kurosawa

  1. Finalmente! Adoro esse mangá!
    Seria legal também se vcs gravassem um programa sobre Molester Man futuramente.

  2. Excelente episódio sobre um dos meus mangás favoritos – inclusive deu vontade de reler. Eu só fui ler OMK em 2013, por causa dessa leva de recomendações que vocês falaram.

    Curiosamente, o ponto que mais me marcou na obra toda foi o momento que vocês falaram que era inverídico: quando o Kurosawa se sente mal, fisicamente, por ter se masturbado pensando na menina que ele gostava – porque isso foi algo que aconteceu comigo na (pré?) adolescência e eu obviamente nunca tive a coragem de comentar com ninguém.

    Uma das principais mensagens do mangá, que me surpreendeu vocês não terem citado dessa forma, é que “a vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena”.

    E, por fim, a melhor parte do mangá, pra mim, é que todos os personagens parecem, de uma forma meio torta, realistas (no MÁXIMO um pouco caricatos), especialmente nas suas reações ao grande drama da obra – eu, pelo menos, reconheci várias facetas de pessoas que eu conheci na vida real.

  3. OMK foi um dos mangás mais revolucionários na minha vida, sem mais. Li pela primeira vez com a idade quase igual a do protagonista, possibilitando uma identificação muito próxima. Eram tempos difíceis, aqueles, mas saber que do outro lado do mundo havia alguém que se sentia como eu me sentia foi realmente reconfortante – e eu só li por causa do mangá ao quadrado, OBRIGADO

  4. Uma curiosidade minha: por que vcs nunca falam de OMK sem estar tocando Neon Trees no fundo?
    A banda é otima, não estou reclamando… só quero entender a relação.

  5. Onani Master Kurosawa foi o primeiro mangá que me surpreendeu totalmente. Li a obra em 2012, quando ainda não tinha uma mentalidade tão madura, e conhecia poucas obras que tratavam de temas mais sérios. Na verdade, fui ler esperando exatamente o que a sinopse do site dizia: “Um mangá de um cara que se masturbava no banheiro da escola”.

    Como um bom adolescente saudável e curioso que era, acabei descobrindo sem querer uma obra fantástica, que só melhorou ainda mais no meu conceito, nesta releitura. Só tive um pouco de problema com o estilo de arte do autor e a grande quantidade de falas do quadrinho.

    Acredito que Onani Master Kurosawa tenha sido a minha porta de entrada pra obras mais experimentais. Fico no aguardo de um enquadrado sobre Molester Man, que também tenho um grande apreço.

  6. Eu fui ler pensando que era um hentai, no inicio fiquei decepcionado por causa disso.
    Mas o mangá é bom, a imersão é muito grande, devido a identificação pessoal com o kurosawa(afinal quem nunca bateu uma pra sua colega de classe), mas o problema que ate hoje dificulta recomendar esse mangá pra alguém já que a sinopse não ajuda em nada

  7. OMK foi um dos primeiros mangás que eu li, li achando que era uma comédia, afinal como ia levar a sério a história de um cara se masturbando para as colegas de classe? Tamanha a minha surpresa ao terminar de lê-lo. Eu meio que aleatoriamente quando comecei a ler mangás escolhia uns bem assim, estranhos, mas que eram excelentes, e isso meio que moldou meu gosto para mangás até hoje.

    Falando sobre outra coisa, já leram o final de Spirit Circle? Gostaram? Agora já pode acontecer um enquadrado de Spirit Circle hein.

  8. Bem, mais uma obra interessante que leio por causa do podcast.

    O Katsura sabe muito bem usar de diversas reviravoltas e talvez o mais intrigante seja que todas foram construídas meio que com certa clareza, mas eu mesmo sequer pude adivinhar. Na verdade, acho que a habilidade do roteirista foi de conduzir o leitor para um desfecho enquanto ele mesmo possuía outro. Assim quando, por exemplo, você pensa que o Kurosawa vai começar um relacionamento com a Takigawa, o autor une a amada do protagonista com o Nagaoka (que participa da cena mais emocionante do mangá, que é quando ele corre na direção do Kurosawa com o intuito de reatar a amizade).

    Outra coisa que também me chamou a atenção foi o fato de a arte não usar retículas, os tons de cinza são todos “no lápis”.

  9. Primeiramente peço desculpa por qualquer erro de ortografia contida nesse texto já que não sou bom em escrever.E já deixando de conversa fiada e indo para (ONANI MASTER KUROSAWA),achei a obra excelente e muito identificável, muito disso é pelos conflitos dos protagonistas se é que se pode dizer que a kitahara é uma ,mas um ponto que me fez sentir ´´Muito kurosawa“ é um mal costume de ser ´´pretensioso ou na verdade preconceituoso“, e julgar as pessoas como se fossem capas de livros ,e criar obstaculos entre min e elas, isso é bem claro no capítulo de começo de aula quando ele começa a rotular todos os alunos ,fazendo o top das gostosas,fazendo o grupo dos otakus ou o careca que é um tipico protagonista shoneen
    e se colocando no grupo dos perdedores que na verdade ,eu trato como uma ironia já que ninguém chegou nele e disse vc é um´´loser“ ele mesmo se rotula assim,e já que o manga não explica quando ele ficou assim ,eu compreendi que sim.
    Também gostei muito do capítulo que mostra toda a visão que a Takigawa teve sobre a revelação do kurosawa ,fez de fato a personagem ganhar mais camadas, o fato de ela não saber perdoar o kurosawa naquele momento foi de muita reflexão e ao mesmo tempo justificável.Vale a pena falar que o manga terminou em uma horá interessante, que já tinha mostrado o que de melhor tinha, e ao mesmo tempo poderia mostrar certas coisas que poderiam ser interessantes,como por exemplo,o Kurosawa virou um grande escritor,ele fez o livro de romance que Takigawa queria,ele chegou a se casar com a (persongem que eu não lembro o nome),mas tevez nada disso importe .Muito obrigado por essa recomendação,gosto muito do podcast e tembém dos textos do Leonardo, esse é o meu primeiro comentario e se meu comentário estiver ruim ou tiver muitos erros na escrita peço desculpas não gosto de escrever e por isso erro com frequencia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s