1Volume – Wolverine Snikt

Volume único, por Tsutomu Nihei.


Em 2003, a Marvel Comics lançou uma história em quadrinhos com uma bela iniciativa editorial. Ao dar um de seus grandes personagens para um grande mangaká, o resultado precisava ser, no mínimo, diferente. O fato do autor escolhido ser Tsutomu Nihei deixa o projeto ainda mais peculiar, já que ele não costuma fazer obras muito simples. Já o personagem escolhido, Wolverine, possui suas facetas e conflitos que fecham a perspectiva desta obra incomum que poderia ser um prato cheio para fãs de mangás e da Marvel. Porém, isto não é exatamente uma recomendação.

Nihei é um bom autor, em geral. Suas obras possuem um estilo bastante peculiar, assim como seu estilo narrativo. Porém, o que mais se destaca em seus trabalhos é o visual. Os humanos podem causar uma estranheza para um desavisado, pois não são limpos e bonitinhos, mas os pontos positivos se sobressaem uma vez que a estilização é compreendida. Os monstros, máquinas e cenários também compõem um visual carregado e complexo, cheios de detalhes que geram curiosidade ao mesmo tempo tornam os elementos coerentes.

Este autor, com tais características tão distinguíveis, tem como protagonista Logan, o Wolverine. Infelizmente, não há muita compatibilidade do personagem com o estilo de Nihei e seria uma tarefa difícil desenvolver esta ligação. E neste momento já começam os problemas desta obra. O caminho escolhido é o mais fácil de todos, jogar Wolverine em um mundo típico de Nihei e tentar dar algumas desculpas para validar a presença dele ali.

Logan é levado, contra a sua vontade, para uma realidade onde a humanidade foi dizimada por seres monstruosos chamados Mandates. Fusa, a garota que trouxe o mutante para este mundo destruído, explica que eles precisam da ajuda dele para contra-atacar e vencer os monstros. Assim, não há motivação por parte do protagonista; ele é, ironicamente, usado apenas como arma para os desejos dos outros.

Os sobreviventes também nunca se tornam personagens agradáveis ou interessantes. A garota que trouxe Logan não possui nenhuma característica senão a de querer sobreviver. Já o guerreiro mais poderoso, que carrega a única arma capaz de destruir os monstros, é definido por sua extrema raiva por estes, mas soa robótico do início ao fim. Durante a história, uma única cena tenta fazer com que Logan simpatize com a causa dos sobreviventes e aceite ajudá-los, mas sua recusa inicial em auxiliá-los é tão infundada quanto seu apoio, já que seu único impedimento era o medo de morrer, algo impossível considerando o fator de cura e a irritante facilidade com que ele vence os inimigos.

A falta de dificuldades e conflitos se torna insuportável rapidamente, com as batalhas sendo vencidas em poucos golpes. Além disso, as ligações com o universo dos mutantes soam extremamente forçadas e rasas, aparecendo apenas para fingir que a história é uma mistura homogênea, quando na verdade há apenas o básico de Tsutomu Nihei com um Wolverine no meio. A história, aliás, parece ter sido planejada em cinco minutos, com uma trama óbvia e cheia de recursos que soam mais como muletas narrativas.

Alguns destes recursos de roteiro usados para levar a história adiante são absolutamente clichês, como o fato dos inimigos possuírem um núcleo central que é seu ponto fraco ou a existência de um indivíduo primogênito que causaria a morte de todos os outros se fosse destruído. E não é preciso muito esforço para saber o desfecho, uma vez que tais elementos foram apresentados. Já a explicação científica da origem dos monstros é enfadonha, dispensável e acaba como apenas mais uma tentativa de legitimar essa história dentro do universo da Marvel.

Depois de tudo, nenhuma relação profunda foi criada, nem entre o universo Marvel com o universo de Nihei, muito menos do Wolverine com aqueles personagens. No fim, a residente dessa realidade paralela convida Logan para ficar ali e abandonar a sua vida, mesmo que a relação deles nunca tenha sido mostrada como algo forte. Felizmente, o protagonista tem um lampejo de sensatez e percebe que ali não é, e nunca foi, seu lugar.

Avaliação Final

3 Respostas para “1Volume – Wolverine Snikt

  1. No inicio.dos anos 2000 a Marvel tentou se aproximar do publico de mangás, mas foi um fracasso, outras dessas tentativa foram o Mangaverso(esse nome mesmo), big six(que sequer foi toda publicada) e algumas minis do Wolverine e da Elektra

  2. Se me lembro bem, o Wolverine inclusive sobrevive, depois de ser reduzido a um esqueleto, não?

    • Ja, entre trocentas coisas estupidas que ja aconteceram com ele como ser pai,irmão,filho,clone do dentes de sabre, ou ter virado um animal selvagem sem nariz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s