Mangá² #115 – Retrospectiva 2014

Sejam bem-vindos ao episódio 115 do Mangá², o podcast semanal de mangás que encerra 2014 em 2015.


Neste programa, Judeu Ateu e Estranho recebem a convidada Clara, do Anikenkai, para migrar um programa tradicional do ToCast para o Mangá² e conversar sobre 2014 pro mundo dos mangás!

Neste programa, falamos sobre encerramentos e estreias no Japão, notícias gerais e, principalmente, o movimentadíssimo mercado nacional de mangás em 2014!

Você pode conferir as retrospectivas dos anos anteriores clicando aqui.

Contato
Sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios, críticas, Recomendação do Ouvinte em áudio, qualquer coisa! O email para contato é: contato@aoquadra.do

Link Comentado
Análise da quarta guerra Shinobi

Feed | iTunes

Cronologia do episódio
(00:00:30) Retrospectiva 2014
(01:35:15) Leitura de Emails
(01:46:00) Recomendação do Ouvinte – Valente, por Diego C. Castro

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

15 Respostas para “Mangá² #115 – Retrospectiva 2014

  1. Eu tinha esquecido que a Nova Sampa anunciou Muv Luv Unlimited. Cara… Eles lêem o que publicam? O pior não é nem pegar a história pela metade, mas sim que o pessoal vai ficar esperando lutas com mechas e NÃO TEM LUTA NENHUMA. Unlimited é praticamente build up pra Muv Luv Alternative.
    (SPOILERS)
    .
    .
    .
    .
    Isso vai soar meio idiota, mas Unlimited é quando o protagonista de Muv Luv Extra (que é um harém roncom) acorda num mundo alternativo invadido por alienígenas que mataram 5 bilhões de pessoas no mundo e encontra uma base militar no lugar da história. Aí ele vai para treinamento mas não vai pro campo de batalha.
    .
    .
    .
    Mas sério, leiam a visual novel. Melhor coisa que eu li esse ano.

  2. Feliz 2015 senhores Judeu Ateu, Estranho e ouvintes do Ao² :)! Mal posso esperar para ouvir o Cast da semana \o\! Já estou baixando!

  3. Off-topic: Estranhow, afinal o que você achou de Bioshock?

    Diferindo do que foi falado, acho valido que esse ano foi a consolidação de diferentes formatos no mercado.

    Hoje temos pelo menos 4 formados estabilizados e sem muito mimi:

    Formato Gibi – Por R$ 4.90
    Formato Tanko c/papel jornal – R$10.90
    Formato – Especial/offset e capa com Papel Cartão – De R$13.90 a R$16.90
    Formato luxo/Livraria – de R$ 30,00 a R$40.00

    Também sou super a favor do mangás lançados esse ano pela LPM, por exemplo, sempre quis ler A Interpretação dos Sonhos do Freud que tem mais de 1,500 páginas e o mangá apesar da arte genérica tem uma bela adaptação da ideia, mesmo em um mangá curto com 200 páginas, ele transmite muito bem a ideia.
    Depois lendo os outros, até de livros que eu já li, vi que é uma marca dessa coleção, transmitir a ideia da obra, mesmo que contada de uma maneira diferente.

    O meu problema com a Panini, que faz eu gostar tanto da JBC é o jeito que ela trata o consumidor. Não que a Panini trate mal, mas ela é muito mais “fria”. Eu gosto muito dessa publicidade da JBC e dessa aproximação um pouco mais direta com o consumidor que editora nacional possui.

    • Achei bom overall, mas o final não entrega, infelizmente. Depois do final decepcionante até passei a odiar os minigames de encanamento que não acabavam mais.

      • Sim, tinha uma hora que eu não aguentava mais o gameplay, tipo termina logo. Mas a história é muito boa, toda a filosofia do game também. E a cena do a man choose a slave obey eu gostei bastante também.

        O segundo jogo muita gente critica, eu achei que ele é uma evolução natural de gameplay e a história agora foca mais na filosofia socialista agora o que serve de contraponto. Acho que vale a pena ser jogado.

        O Infinite mais ainda, muda bastante, mas vale muito a pena. E não precisa ter jogado o 2 necessariamente.

  4. slowpokereport
    finalmente o volume 1 de viland saga foi lançado aqui em araraquara,e adorei o mangá principalmente pelo fato dos vikins serem retratados de uma forma mais realista ,em vez daquela visão fantasiosa de caras barbudos com chapeus chifrudos ,nota-se que o autor se deu ao trabalho de fazer uma pesquisa

    sobre o ano de 2014 foi ate um bom ano ,mas o que mais me marcou fopi o fim de naruto e podem me chamar de mulher de malandro ,pois aquele capituloi final me fez perdoar todo o arco da guerra ninja

    sobre os mangás hentais aqui o dono da banca deixa eles junto das revistas play boy

  5. Me irrita o pessoal que fica de mimimi com algumas adaptações brasileiras e finge que é engraçado aqueles trocadilhos japoneses que a pessoa so entende quando tem uma nota do tradutor

    • na verdade é meio ironico o fato dos otakinhos idolatrarem a dublagem de yuyu hakusho ,mas ficarem putos quando uma editora faz o mesmo com um mangá

  6. Não é por nada não, mas teve muito mais anime bom que mangá bom saindo em 2014.

    Só jogando aqui =P

  7. Primeiramente feliz ano novo a todos, gostei da retrospectiva e concordo que 2014 foi um pouco fraco de lançamentos no mercado nacional de mangás (mas Vinland Saga salvou o ano).
    Como vocês citaram 2 obras de Masasumi Kakizaki, alguma chance de rolar uma mangagrafia no futuro?

    • Foi um dos nomes levantados como possíveis, mas ele não será pelo menos os próximos dois autores de Mangagrafia (que já estão decididos).

  8. Saudações, faz um tempo, de novo, que não apareço por aqui. Gostei do formato desse programa, ficou meio longo, teve um momento que me cansei de ouvir e quando fui ver ainda faltava uns 50 minutos pra acabar, mas tudo bem.

    Não sei dizer ao certo se 2014 foi bom ou ruim, pelo menos pra mim foi um ano de mudanças. Em se tratando de mangás continuei seguindo a tendencia natural de substituir a quantidade pela qualidade, não tenho muito do que reclamar, deu pra ler umas obras bem legais.

    Como não tenho o costume de acompanhar os lançamentos ou as series mais recentes, difícil dizer se o ano foi fraco, mas sei la. O mercado editorial japa é muito grande, é mais provável que as melhores obras acabaram ficando “escondidas” e não chegaram até a gente, mas sei la. Pode mesmo ter sido apenas uma safra ruim. Ah, pro mercado nacional eu achei que foi um bom ano.

    Vou aproveitar pra dar uma pequena sugestão, a musica de transição está um pouco alta. Quando vou ouvir o podcast na rua sempre preciso deixar o volume bem alto por causa da poluição sonora (isso porque meu fone é daqueles que abafa o som exterior), então quando vai pra transição parece que meus tímpanos vão explodir, é “meio” desagradável. De repente sou o único que tem esse problema, mas.

    Do mais, sem mais. Um feliz ano novo atrasado pro pessoal, que a gente continue se esforçando esse ano também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s