Mangá² #94 – Primeiros Capítulos 2: Fairy Tail, Bleach, Fullmetal Alchemist

Sejam bem-vindos ao episódio plutônio do Mangá², o podcast semanal que tentou facilitar e fez um podcast mais longo que a média.


Neste programa, Judeu Ateu e Estranho revisitam outro “bloco” criado no passado no qual analisamos os primeiros capítulos de três mangás já estabelecidos. Desta vez fomos de Fairy Tail, Bleach e Fullmetal Alchemist! Confira nossas impressões no podcast!

Contato
Sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios, críticas, Recomendação do Ouvinte em áudio, qualquer coisa! O email para contato é: contato@aoquadra.do

Links
Álbum com Fanarts de третий

Feed | iTunes

Cronologia do episódio
(02:10) Fairy Tail #01 – Lucy e Natsu
(21:10) Bleach #01 – The Death and the Strawberry
(37:35) Fullmetal Alchemist #01 – Os Dois Alquimistas
(52:45) Leitura de Emails
(74:10) Recomendação da Semana – Hells Angels

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

27 Respostas para “Mangá² #94 – Primeiros Capítulos 2: Fairy Tail, Bleach, Fullmetal Alchemist

  1. Amei o cast, mas mano do céu, XD.
    Como dizer isso das Chimeras, tem capítulo do Shou Tucker que é só explicando isso. Fora os companheiros do Greed e do Kimblee’s.

    Mas ótimo cast, parabéns

    • Foi do caso da Nina que eu estava falando que disse que “usou de novo e nunca mais”, mesmo que tenha usado de novo em alguns personagens secundários.

      Mas parando pra pensar, acho que Arakawa bolou esse caso da Nina pra meio que matar essa temática dos Chimeras de vez, já que provavelmente não queria usar construtivamente de novo. Muito bem construído, já que encerrou o assunto e o caso foi de extrema importância pro desenvolvimento dos personagens até o final.

      • Concordo absolutamente Judeu, contudo ela adiciona aquelas 4 quimeras O rei leão q teve uma participação importante, o King kong e os outros dois whatever…(porco espinho e o sapo)
        Po como eu faço para se torna redator do blog?

  2. bacana o podcast
    sobrte os mangás enquadrados que viram aconselho a deixar punpun por isso já que é o mais longo

    agora comentando sobre os primeiros capitulos
    fairy tail
    eu lembro quando estrou fairy tail os comentarios aqui no brasil nos foruns era o seguinte
    ta meio parecido com one peac
    que legal um mangá de magás
    é do mesmo autor de rave master
    é meio cliche
    a lucy é mo gostosa
    vai ser cancelado rapidinho
    vai ser um sucesso

    no meu caso eu li o primeiro capitulo e sinceramente achei a arte muito porca e a historia bem manjada por causa disso dropei o mangá anos depois quando saiu o anime comecei a acompanhar e ate estou vendo o anime ,fairy tail pra min é como dragon ball é o tipo de anime que eu “desligo o cerebro” e apenas me divirto

    bleach
    o primeiro capitulo de bleach não me chamou muita a atenção na verdade a impresão que tiove é que seria um mangá de terror pelo tom mais escuro ,tipo misterio sobre natural ,mas achei interesante o conceito de holow ,pena que hoje sabemos que os holow não passam de bucha de canhão ,e é meio engraçado ver essa luta do ichigo contra esse holow apenas na espada sendo que hoje em dia os shinigamis tem poderes absurdos, e realmente prestei atenção no que voces falaram no começo o kubo não tinha essa mania de fazer quadros enormes com fundo branco que não serviam pra nada

    fullmetal alchimist
    o primeiro capitulo me comprou logo no começo com a cena do radio achei muito interessante aqui apesar de não ter entendido no inicio,alem dos dois personagens serem muito carismaticos e omisterio envolvento o fato do al sert uma armadura e do ed ter um braço mecanico
    sobre as quimeras tem muita relevancia na historia começando com o que aconteceu com a nina e o pai dela ,depois tem a gangue do ganancia que era formada por quimeras defeituosas depois mais pra frente tem as quimeras que são mandadas atras do ed

  3. sobre a duvida de voces sim realmente existem criticos profissionais de mangá no japão ,e não estou falando de blogueiros ,mas sim pessoas entendidas do assunto que são contratada por revistas pra fazer criticas

    • Será? Você sabe alguma revista japonesa com esse tipo de contratado? Fico curioso pra ver como eles fazem as críticas lá, se é por mangá completo, por estreia, por volume…

  4. Fairy Tail: Eu nunca tinha lido o mangá, apenas assisti o anime até uma certa saga hypada que eu nem lembro como é, lembro que achava bem divertido na época, mas foi ficando repetitivo e parei.

    Eu achei um primeiro capítulo bem agradável, os personagens são realmente carismáticos. Algo que não gostei foi o fato do Natsu ser da guilda que a Lucy adora e tudo conspirar casualmente pra ele não falar e ela não descobrir. No final, quando ele revela, parece uma surpresa meio artificial. Eu provavelmente leria mais 2 ou 3 capítulos e iria cansar hoje em dia.

    Fullmetal Alchemist: Um mangá ótimo que eu ainda não li todo. Esse primeiro capítulo é magnífico por apresentar os personagens, o mundo e tudo que precisava de uma maneira fluida e, principalmente, relevante. O roteiro é extremamente bem feito por ela conseguir usar os elementos da história para movimentar o plot, como a explicação da alquimia que, quando exposta para os personagens, faz diferença pra trama, ou a armadura vazia do Alphonse que não é só enfeite, ela é usada para surpreender na cena do tiro e para guardar a menina escondida. Aliás, as surpresas são um ponto alto desse capítulo, ela sabe deixar o leitor interessado em tudo que ta acontecendo. Preciso acabar logo esse mangá.

    Bleach: Reler Bleach pra mim foi ainda mais interessante, pois comecei o mangá há alguns anos, quando eu era bem menos maduro, e lembro da sensação de ler o primeiro capítulo isolado e pensar se ia querer continuar ou não. Todo mundo dizia que era muito bom, mas eu estava em dúvida. E tenho que confessar que, na ocasião, a espada gigante do Ichigo me comprou. Talvez eu tenha mal gosto.

    Primeiramente, sobre o pergaminho, pensei que poderia ser algo específico da cultura japonesa e dos shinigamis, como aquela borboleta preta que também nunca mais apareceu. Parecia algo para caracterizar a personagem como uma Shinigami. Ou não. E já vi em algum lugar que o Kubo planejava introduzir o Hirako Shinji desde o começo como um dos colegas da escola do Ichigo e já introduzir de leve os Vaizards, mas achou que seria muito cedo e acabou colocando o personagem como um aluno transferido lá pro meio do mangá. E ainda sobre essa página dupla, percebam que o Chad é absolutamente outra pessoa. E a Rukia, até o fim do capítulo, me lembrou um homem.

    Eu até gostava da ideia inicial de Bleach, tratando o Ichigo como um delinquente, uma coisa bem Yuyu Hakusho, e talvez fosse interessante manter a terra na equação até hoje no mangá, mostrando mais impactos nas ações do Aizen ou da Soul Society nos hollows e nos plus, pois no começo eles pareciam importantes. Aliás, se o trabalho dos Shinigamis era purificar as almas, no momento atual do mangá deve tá cheio de hollow matando geral na terra. O Ichigo, como personagem, era muito mais tridimensional no começo, por incrível que pareça, porque tinha relações com a família, com a sociedade, com o mundo, com os fantasmas, tinha várias coisas pra serem trabalhadas que foram esquecidas.

    E o clichê final da Rukia dando os poderes para o Ichigo sequer faz sentido! A decisão de cometer um crime, que vai causar um monte de merda lá pra frente, é tomada por ela em um segundo, uma ideia que surge e ela nem se questiona, apenas faz e foda-se. E, se eu não me engano, ela é descrita pelo Renji como uma nerd na escola dos shinigamis. Nesse momento o Kubo forçou a amizade pra mim.

  5. Ouvir esse podcast me deu vontade de reeler Fullmetal metal. Aliás pq vc não fazem uma mangafria da Hiromu arakawa, falar um pouco do 4komas onde ela começou…..
    Otimo site parabéns a anos procurava um site parecido (y)

    • Se for sincero (nunca se sabe, na internet, né), obrigado!
      Temos algumas Mangagrafias programadas, mas a Arakawa nunca tínhamos pensado. Vou jogar na nossa lista, vamos ver quando sai.

        • Pior que íamos tentar encaixar no programa de Comédia, mas acabou ficando de lado. Não sei se dá um programa inteiro só disso, teria que achar algo pra “engrossar” o papo.

          • Então encaixa na mangagrafia da Arakawa 😛
            Uma pergunta Estranho, pq colocar a leitura de e-mails no “meio” do podcast??

          • Foi herança do formato antigo que era Tema -> Email -> Mangás Semanais -> Recomendação. Só tiramos os semanais do caminho.

          • Also, lembro da gente ter pensado em deixar a recomendação por último, pra meio que forçar as pessoas a escutarem a leitura, já que a maioria não se importa, mas é uma seção com conteúdo rico.

          • Eu por exemplo pulava a leitura no começo, mas agora escuto tudo. É realmente uma parte rica do podcast. Eu só acho ela meio deslocada, por que voce começa um novo assunto e depois volta no anterior. Só que começar com a leitura não seria uma boa ideia apesar de tudo.

          • Eu nem acho que fica tão deslocado, porque tem uma separação sonora bem clara, é tipo um “ó, estamos saindo de um tema e indo pra outro”. Acho esse formato de terminar o tema e depois ir pros emails muito mais agradável que o do Nerdcast, por exemplo, que você começa querendo ouvir sobre um tema e acaba sendo empurrado para outra coisa antes.

          • Concordo, inclusive colocar a leitura de emails no início pode fazer com que mais pessoas a ignorem e passem pra frente.
            Enfim, do jeito que está, está ótimo.

  6. Com um pouco de problemas aqui, então não ouvi tudo ainda.
    Ma é divertido rever um clássico do m², o primeiro capítulos.
    E saber que tem mangagrafia programados então…. promete.

    • Programado significa “‘Vamos fazer?’ ‘Vamos’ ‘Um dia então a gente vê isso aí'”, lol, então não se empolgue tanto.

      Mas adianto que tem pelo menos um agendado de fato.

  7. Slow poke report atrasado que sim, a voz do Estranhow parece a do Hyoga, nunca tinha parado pra pensar nisso.

    Não sei sobre o Japão, provavelmente existe critico de mangá. Mas nos EUA tem a Universidade do Minnesota que anualmente lança um revista, um mega paper, com os 10 principais trabalhos acadêmicos sobre animes ou mangá, chamada Mechademia (http://mechademia.org/). Então provavelmente deve existir críticos por lá também.

    Sobre Fairy Tail eu sempre tive dificuldade por se parecer tanto com One Piece, pior que tentei ler o mangá..li até o volume 4 tentei voltar a ler achando que o problema sou eu, mas não consegui não me animou em nada. Só a Elza que apesar do fanart é uma mulher forte em um gênero masculino.

    Bleach tem esse comecinho que até é legal até entrar na vida escolar, depois fica muito arrastado só dando um up com a chegada dos Shinagamis. O Kon como ursinho é aturável ele com o corpo do Ichigo é mais chato ainda.

    FMA nunca li o mangá, vi apenas o anime, que por sinal mal da cicatrizes pro Ed, e sonho em esperar a republicação para eu ler, mas acho que esse dia não chegará em um futuro próximo.

  8. O grande problema desse primeiro capítulo de Bleach é a Rukia. Ela não era tenente ou capitã pra ter o selo que restringe 20% do poder e mesmo assim ela não libera a zampakutou. Decerto que ela pensou que parrar o hollow com o corpo era mais eficiente do que congelá-lo. Eu devo ter problemas para ainda gostar desse mangá.

    Uma coisa que sempre me incomodou em FMA é a maneira como a alquimia era usada. Se você pode mudar o terreno, criar gigantes de terra e etc porque forjar uma lança e partir pro mano a mano? Detalhe que, nesse cap, a lança é menos resistente que o braço dele, então pra que? Além da alquimia do Mustang (aliás, aprendi a estalar os dedos porque ficava imitando ele kkkk) a do Scar era foda, porque em teoria era mais fácil e na prática mais efetiva. Eu sempre entendi que o desenrolar da luta não era importante mas sim o resultado final, mas me incomodava do mesmo jeito.

    Ficou muito bom o podcast do mangá de esporte, muito divertido, e com certeza eu o leria (se fosse curto, é claro kkk).

  9. comecei a acompanhar o podcast recentemente, mas já vi vários. Uma boa análise desses primeiros capítulos.

    Slowpoke Report:
    Li Green Blood, Oyasumi Punpun e comecei a a ler Hikaru no Go

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s