Mangá² #76 – Hoshi no Samidare

Sejam bem vindo ao episódio Charlotte Hornets do Mangá², o podcast que um dia ainda vai voar pra salvar os mangás deles mesmos.


Como já combinados há tempo (até demais), esta semana no Mangá², discutimos por completo a incrível obra: Hoshi no Samidare, AKA Lucifer and the Bicuit Hammer. Só que, para acompanhar nesta jornada, o Judeu Ateu e o Estranho chamam como convidados especiais, o já esperado, Leonardo Kitsune do Video Quest e, numa supresa completamente inesperada, o também figurinha repetida, Rubio Paloosa do Omnia Undique.

Então façam conosco essa super-análise cheia de SPOILERS, onde realizamos uma discussão detalhada de cada personagem, concordamos e discordamos em interptretações forçadas e revelamos cada um, os nossos personagens favoritos, mais odiados e o melhor momento do mangá. Um podcast com opiniões mais variadas do que se poderia imaginar.

E na recomendação da semana, novamente realizada pelo nosso convidado, tivemos a recomendação de um battle shounen dark, imprevisível e que está prestes a ficar bem popular.

Contato

O seu contato é muito importante pra nós! Queremos sempre a sua participação comentando os episódios, enviando sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios e críticas, qualquer coisa!

O email para contato é: contato@aoquadra.do

E lembre-se de encaminhar seu arquivo de áudio com a gravação de sua própria Recomendação do Ouvinte!

Feed

Cronologia do episódio

(00:20) Discussão Semanal – Mangá Enquadrado – Hoshi no Samidare

(1:20:00) Leitura de Emails

(1:40:00) Recomendação do Ouvinte – Akame Ga Kill

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

28 Respostas para “Mangá² #76 – Hoshi no Samidare

  1. Confesso que só ouvi o começo do podcast, até a parte me que li do mangá, e realmente o começo é muito meia boca, terminei o primeiro volume no sacrifício.
    O Segundo comecei a ler por cima, ai resolvi parar, do que simplesmente ir passando o olho pela página.

    O conceito dele acorrentado e tudo é legal, tem as piadinhas com o gênero, mas achei que o começo é muito arrastado. Com a aparição inicial do vô dele, deu mais ainda a sensação de drama shonen padrão. Nesse começo de leitura quem mais me agradou foi o lagarto mesmo.

    Vou tentar respirar fundo e continuar a ler.

    Já com o slowpoke report, terminei Innocent, é um excelente mangá. Também foi o primeiro que tentei ouvir com música. Joguei no youtube alguma ópera francesa aleatória, para combinar com o clima do mangá e até que foi uma experiência bem interessante.

    E ainda estou lendo o sakamoto desu ga? Que por enquanto está bom também.

  2. Bom vídeo! Teve algumas sacadas que eu não tinha me ligado quando lí anteriormente.

    Hoshi no Samidare é fantástico, muito bom mesmo!

  3. Dessa vez meu comentário vai ser rápido!

    Vocês não citaram a cena que, para mim, foi a maior brincadeira com a ideia de prever o futuro em Hoshi no Samidare. Falo da parte em que a ex-colega de trabalho do cavaleiro do cavalo prevê que este estaria com a metade superior do corpo enterrada no chão e com as pernas para cima. O que fez eu curtir tanto essa cena, foi que a Anima dá uma solução para o problema (que seria o cavaleiro recriar a imagem que sua amiga tinha visto da forma mais segura que pudesse) que eu sempre considerei. E acredito que muitas pessoas acostumadas com obras com o tema de viagem no tempo já devem ter conjecturado sobre isso também. E já deve ter ficado óbvio que quando essa solução se prova falha e o Nagumo grita com muita vontade “devolva meus 5000 ienes”, eu ri para caraleo. É só uma piada que nem afeta tanto assim a trama, mas valeu só por conseguir tirar boas risadas.

    Quanto ao meu personagem preferido, não consigo me decidir entre o Akane e o golem de 11 olhos. Aliás, vocês nem falaram desse último, mas acho que ele tem uma enorme importância na obra. Isso porque ele exerce várias funções para a storyline principal, para o desenvolvimento temático da obra, para a construção do Animus, para a concepção do que é um golem e o que é um humano e para o desenvolvimento do Akane e ainda ser construído como um personagem fortíssimo. Mas aqui vou me ater só a parte do desenvolvimento temático, porque quando esse personagem morre, ele passa a representar a criança que não pôde se tornar adulto. Tanto que o diálogo final dele mostra muito aquele ímpeto infantil de aprender mais sobre as coisas e de descobrir o mundo. Muito mais até do que o cara do rato, que representava mais a fase adolescente. Isso faz até uma rima, no final do mangá, com a morte do próprio Animus, que também morreu como criança e com vontade de conhecer mais sobre o mundo. Acho que por essas e outras coisas, consigo concluir que o golem de 11 olhos é o meu personagem preferido. Acabei com a indecisão.

    Por fim, se me permitem uma quadréplica, Imperdoável (ou Irredeemable) realmente não tem o Superman, mas sim um personagem com os mesmos poderes que o Superman tem e que já está enlouquecido desde as primeiras páginas do quadrinho. E quanto a TTGL, ele vai se tornando um exploitation de robôs gigantes mais para o final da obra, quando esta chega em sua segunda metade.

  4. não ouvi o cast devido ao fato de não ter lido o mangá(já que ele ainda esta sendo traduzido pro portugues)gostei da recomendação da semana vou dar uma olhada nesse mangá

    • Acredito que nem vá ser concluído em português. Mas já tem uma boa parte na nossa língua mãe, ler o resto em inglês com um translator do lado é de boa.

      • a kyodai scans pegou o mangá pra tradiuzir ,essa semana mesmo lançaram capitulos novos

  5. Ótimo programa!
    Eu já li 2 volumes de Akame ga kill e é surpreendemente bom. O jeito que o mangá brinca com os clichês shounens é extremamente divertido; não é como Hoshi no Samidare, já adianto, mas ainda assim acaba surpreendendo positivamente muitas vezes. A única coisa preocupante até o momento é a explicação para as armas, que são os artefatos que dão poderes para os personagens; Acho que ela deixou muitas brechas e se de repente o autor trombar com o Kishimoto na rua o mangá pode acabar indo para um caminho muito errado.

  6. Parabéns pessoal, essa dobradinha de programas (desconstrução e este) formaram um dos melhores programas seus.

    Minha cabeça explodiu quando o Estranho falou a respeito do cavaleiro peixe-espada ser Animus reencarnado, juro que não tinha sacado isso na leitura.

    Li o mangá na época do VQ, então não está tudo muito fresco, mas dos temas abordados o mais forte e significante pra mim foi em relação à morte… seja no acontecimento do evento em si, quanto em como isso afeta as pessoas em volta. Dito isso, compartilho da opinião do Estranho a respeito da cena favorita ser a do cavaleiro da coruja, onde foi a morte do cavaleiro de rato que mudou toda a perspectiva da vida do garoto. Mas devo dizer que a partida dos animais no fim foi de partir meu coração =(

    Enfim, parabéns pelo excelente programa, abraços!

    PS: Também não curto o cara do corvo, urgh

  7. ESTA É A PRIMEIRA VEZ QUE ESTOU FAZENDO UM COMENTÁRIO NO SITE, BEM EU NÃO LI HOSHI NO SAMIDARE MAS TÁ MINHA LISTA, MAS TERMINEI DE LER ONANI MASTER KUROSAWA, ANNARASUMANARA, HOTEL E ESTOU LENDO AGORA OYASUMI PUNPUN, JOJO’S BIZARRE ADVENTURE, SOUL EATER, E VOU COMEÇAR DOROHEDORO, VINLAND SAGA, PALEPOLI, PING PONG, KOKOU NO HITO, PRISON SCHOOL.
    E QUERIA SABER SE VÃO FAZER A CONTINUA DO TOCAST DAS PARTES SEGUINTES DO JOJO, E AS MANGAGRAFIAS.
    VALEU.

    • Olá, seja bem vindo!
      Sim, continuaremos com os ToCasts sim. Quando estrearmos o blog unido, teremos algumas novidades pra anunciar, fique de olho!

  8. Pingback: Hana ga hana ga saita yo | Abnormal Scanlator·

  9. a kyodai scan terminou de traduzir o manga pro portugues ,agora vou ler todo o mangá e depois ouço o cast

  10. Que cast ótimo! Agregou muito à minha experiência com o mangá. Hoshi no Samidare é um dos poucos mangás que não tem pretensiodade nenhuma em ser deep e mesmo assim consegue ser profundo. É possível interpretar as cenas e diálogos de inúmeras maneiras.

    Achei incrível a forma que todos recusaram a proposta do Animus de sacricar o Yuuhi sem nem pensar duas vezes. Também gostei do modo que a Anima lidou com a infantilidade do vilão: através de um jogo com regras bem estipuladas. Engraçado que se o Animus quisesse ele poderia acabar com o mundo, mas ainda assim ele respeitou as regras até o final.
    Meu personagem favorito também foi o cavaleiro do gato preto. Não achei a cavaleira da cobra tão inútil quanto falaram no cast, já que ela foi a primeira a saber do plano de destruição da Samidare e também serviu como um bom possível par romântico para o protagonista, que estava ficando adulto e deveria lidar com essas situações. Falando nisso, não acharam estranho o sumiço da garota chatinha do primeiro volume? Eu gostaria de ver um final pra ela.
    É isso, adorei o mangá e o cast. Continuem com o bom trabalho. Abraços!

  11. Pingback: Selected Review: Hoshi no Samidare | Selected Mangás·

  12. Ouvi os dois podcasts de uma vez só pois estava de viagem. Já comentei muito sobre Hoshi no Samidare e gostei de ter visto alguns detalhes que não tinha notado na leitura, como alguns detalhes do vilão da obra. Tudo que eu acho da obra está aqui:
    http://selectedmangas.wordpress.com/2014/01/09/selected-review-hoshi-no-samidare/
    Queria falar também sobre o final do mangá e aquele último capítulo extra do Taiyou, o final do mangá que mostrou o futuro da Samidare (dos bichos de pelúcia) e a luta do Mikazuki contra o Yuuhi (a despedida dos animais) me cativou muito.
    Para falar mais sobre desconstrução, tem uma creepypasta de Pokemon na internet que desconstrói por inteiro Pokémon e fez uma história sensacional: http://www.nerdmaldito.com/2012/10/teoria-do-ash-em-coma-versao-sinistra.html Tém Viridian City, a webcomic que é uma versão realista de Pokémon: http://viridiancitypokecenter.tumblr.com/
    Queria parabenizar o Abnormal Scanlator e o Kyodai Scans por terem finalizado os scans em português, estes que estavam parados faz um tempo.

  13. Li Akame Ga Kill essa semana. Olha, foi leitura dinâmica depois de um tempo, justamente por eu não ter gostado do começo do mangá, apesar de que era legal rir um pouco das mortes. Eu planejo reler pra brigar com os fanboys no twitter, mas por enquanto digo que é ruinzinho.
    Kyou Asuka pra mim é mais uma crítica ao conservadorismo, ou melhor, a vergonha irracional de algumas pessoas por padrões sociais, até porque a Asuka não leva isso em conta pra nada, ela não tem vergonha (num bom sentido). Vai ver por isso achei ela interessante.

  14. E porra, o cara faz uma mina COM CABELO ROSA CHOQUE e faz ela com um VESTIDO TODO ROSA CHOQUE. Poxa. Isso vai ficar uma bosta animado.

  15. bom sinceramente ler hoshi no samidare no começo foi uma tortura ,só fui prestar atenção na historia quando apareceu o corvo ,dai em diante gostei muito de como a historia se desenvolveu ,mas achei muito forçado a parte que o amamya sai na porrada com todo mundo,e a natalha vinal do amaya contra o corvo achei desnecessaria e ainda por cima quebrou o clima da despedida dos animais ,não sei se isso imcomodou voces mas eu queria que tivesse mostrado quem foram os antigos guerreiros animais
    uma cena que me surprendeu bastante foi a morte do cachorro ,pois foi tipo a morte de um personagem principal pra um inimigo random ,tipo um capitão debbleach ser morto por um holow comun

    cena favorita-quando mostra o martelo pela primeira vez (me arrepiei com aquela cena)

    personagem mais chato -princesa samidare ,me dava nos nervos toda hora que a guria aparecia gritando e mostrando a calcinha

    melhor personagem-cavaleiro de gato preto -no começo quando mostrou ele la conversando com o animus eu falei “gordo filho da puta tem que morrer” mas depois disso o personagem teve todo um desenvolvimento tanto no poder quanto pisicologico

  16. Bom eu acabei de ler o mangá e vim para o blog em busca de um texto Antigo, ou nem tanto assim do judeu e me deparo com um podcast que eu tinha esquecido, em meio a esse devaneio deixo meu singelo parabéns a vocês vou voltar a ouvir o podcast de vocês, nem lembro o motivo do meu hiato.

    ps: seu texto sobre o vale do fim é muito interessante judeu.

  17. Na verdade a questão do time travel e que o futuro já estar planejado, na verdade não.
    Conforme os bichos mesmos comentaram, Anima e Animus foram regressando progressivamente, então vários “passados”, onde o mestre ainda estava vivo… não deram certos e todos morreram, e com isso, a terra destruída e a Anima voltando ao passado mais uma vez para formar uma nova equipe.

    E sobre a morte do muleque, não foi por burrice. O ratinho explica que naquele mundo existe o karma, que não pode ser eliminado por mágica, e quando a menina desejou que o assassino random lá morresse, ela assumiu o karma pela morte dele e que ela pagaria por isso (com morte), então o desejo do muleque foi salvar ela da morte, assumindo ele mesmo o karma dela.

    • Lol, depois de certo ponto fala exatamente isso que eu disso, e agora não dá pra apagar o primeiro coment. xD

  18. Pingback: Mangá² #101 – Mangagrafia: Satoshi Mizukami | AoQuadrado²·

  19. Pingback: Mangá² #111 – Mangagrafia: Satoshi Mizukami | AoQuadrado²·

  20. Pingback: A Última Página | AoQuadrado²·

  21. Pingback: Coming of age e a Adolescência | AoQuadrado²·

  22. Pingback: Semicírculo – Lafalle | AoQuadrado²·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s