Mangá² #60 – Annarasumanara

Sejam novamente bem vindo ao episódio “uma hora” do Mangá², o podcast que quer acreditar em magia.

Como anunciado, estamos de volta com o nosso bloco Mangá Enquadrado… Aliás, Manhwa Enquadrado, pois enquadramos nosso primeiro quadrinho coreado: Annarasumanara!

Nos Mangá (Manhwa) Enquadrado, nós analisamos uma determinada obra por completo, e quando dizemos isso, significa com spoilers! Portanto, leia a obra antes e volte aqui para embarcar conosco nessa viagem de magia, descobrimento e análise dos principais pontos da obra!

E nesta semana tem Recomendação do Ouvinte, com o anúncio do vencedor do “Concurso Cultural²”, que terá o direito de escolher qual será o próximo mangá que enquadraremos! E nessa recomendação, recebemos um mangá fora da nossa zona de conforto; um shoujo sem frescura! E ouça até o fim pois há um anúncio no final da recomendação!

Contato

O seu contato é muito importante pra nós! Queremos sempre a sua participação comentando os episódios, enviando sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios e críticas, qualquer coisa!

O email para contato é: mangaaoquadrado@gmail.com

E lembre-se de encaminhar seu arquivo de áudio com uma gravação de sua própria Recomendação do Ouvinte!

Cronologia do episódio

(01:30) Discussão Semanal – Mangá Enquadrado: Annarasumanara

(39:55) Leitura de Emails

(59:25) Recomendação do Ouvinte – Immortal Rain, por Lobo Paranóico

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

27 Respostas para “Mangá² #60 – Annarasumanara

  1. bom pessoal fiquei um mês sem internet ,e só agora pude ouvir os podcasts infelizmente não vou poder acompanhar esse mangá enquadrado já que fiquei sabendo em cima da hora , mas pretendo ler esse mangá
    sobre os podcasts anteriores
    no de personagens secundarios ,bem judeu existe algo que não possuiu personagens secundarios o desenho do coiote e papaleguas ,só tem dois personagens na historia e nenhum deles é secundario

    • Mas o coiote é mais principal que o papa-léguas! E tem todos os produtos ACME, que transforma a empresa em um personagem secundário (?).

  2. Outro Slowpoke report que gostaria de fazer é sobre Genkaku Picasso, obra fantástica que me emocionou e fazia muito tempo que não me emocionava com um mangá.
    Após escutar as discussões sobre slice of life, seria Kanojo o Mamoru 51 no Houhou do Furuya, seria um slice of life ou um drama? Qual é o limite do slice of life e do drama?

    Já irei gravar minha recomendação, já está preparado aqui o mangá, ótimo programa e até a próxima semana.

  3. Annarasumanara é uma da obras que vocês recomendarem que eu mais gostei, ótima webtoon. Quanto à necessidade do flashback do mágico, achei necessário sim e gostei bastante, pois como vocês falaram mostra o porque que ele resolveu virar o que ele virou, embora você não saiba exatamente se ele pirou ou não. Aliás, é uma das partes que mais gosto do manhwa.
    Não li ainda a recomendação dessa semana, mas já adicionei na minha Wish List(que tá cada vez maior). E Judeu, queria saber sua opinião do capítulo 16 de DICE, o que você acha que acontece agora?

    • Olha, essa webtoon está tomando caminhos que eu não esperava. Quando o cara de óculos pegou o dado, temia que fosse virar um battle-shounen comum, com ele sendo um vilão/antagonista, ou alguma coisa assim.

      Mas com esse último capítulo, não tenho mais a mínima ideia, fico realmente pensando quais seriam as verdadeiras consequências de ter tanta gente com esse tipo de poder. Estou torcendo para que o autor foque nessa questão de gameficação da vida, tornar a vida tão fácil assim e tal, talvez seja isso que aconteça, não sei mesmo, de verdade. Tem até um grande foque em mistério/conspiração na obra agora, estou curtindo bastante.

      Talvez o autor faça com que o personagem principal possa, de alguma forma, corrigir a cagada que o de óculos fez. Estou curioso.

  4. Poxa, fiquei o mangá inteiro tentando entender porque a cabeça do cara parecia um pinto/salsicha e era isso na verdade, kkkk.

    • Bom, pelo menos você não achou que era um erro de scan! Sabendo que representava alguma coisa (mesmo sem saber exatamente o quê) já é um passo importante!

  5. Como eu ia adivinhar que o “cabeça” era mostrado naquele jeito por ser soberbo?! Sou péssimo para simbolismo no geral! mas também não acho que é caso para me-matar…! Obra incrível mesmo. Oque mais me deu um up para ler Annarasumanara foi à brincadeira com as cores que o autor se utilizou na construção de muitas cenas. Caiu bem com o lance de magia da obra.
    Do mais dito, concordo com o foi conversado. (O papagaio fica como um mistério a ser interpretado, então…)

    Recomendo Annarasumanara também.

  6. Quando eu li, pensei no cabeçudo ser daquele jeito por conta de uma sobrecarga de obrigações, deveres e expectativas que a família colocava nele, tanto que (pelo que me recordo), ele volta ao normal quando ele consegue se libertar (um pouco pelo menos) das amarras dos pais e passa a tomar decisões próprias. Apesar dele ter tido uma fase asshole durante a história, desde o princípio eu não senti que ele era uma pessoa de mau caráter, e por conta disso acabei associando a cabeça mais às expectativas alheias do que ser esnobe.

  7. Eu já tinha lido o primeiro capitulo, mas tinha largado por achar que era apenas mais um shoujo do tipo “A garota sofrida que encontra um cara misterioso”. Mas realmente surpreendeu quando eu continuei a leitura.
    Com relação ao papagaio eu tinha interpretado que se tratava de mais um truque do mágico, já que me pareceu que todas as vezes que ela fala diretamente com a garota, o mágico não está presente.
    No flashback, eu também tive uma outra interpretação com relação ao desenho rabiscado. Me deu a impressão de que aquilo representava a visão do mágico perdendo o controle com tanta pressão. Conforme ele foi piorando, as linhas foram ficando mais soltas e distorcidas.
    No fim das contas eu achei um manhwa excelente, principalmente por mostrar esse “otimismo realista” por assim dizer. Geralmente as obras de entretenimento acaba por dizer “Jogue tudo pro alto e siga seu sonho” e nós sabemos que não funciona muito bem assim na vida real. Ele mostra como os dois extremos são ruins.

  8. Bom, comecei ontem e terminei agora a obra, vamos lá.
    Sempre achei a sonoridade do nome boa, Annarasumanara, da até gosto de falar.
    Aliás, eu procurei, mas não achei o significado da palavra. Seria tipo um sim sa la bim, alakazam Coreano?

    Achei a parte artística fantástica, não só pela colagem, mas pelas as cores pontuais, que fazem o gênero se tornar único, pois no papel perderíamos muito do que a obra gostaria de passar.

    E além dos temas comentados por vocês, sem dúvida a pressão social com os estudantes coreanos/japoneses é mostrado como uma pretensão social perigosa e problemática, pois acaba sendo algo recorrente, mesmo em dois personagens de gerações diferentes, o mágico e o El- Deung.

    Na verdade eu não notei de cara o motivo do El- Deung ser daquele jeito, mas entendi que seria uma “fase” ou uma metáfora, justamente por ter relacionado o personagem com o Punpun.

    Sim, uma das maiores dúvidas é se, porra ele é mágico ou não, afinal tem coisas que ficam em aberto, como o papagaio e o ela se ver no passado, mesmo podendo levar tudo como um papagaio falastrão adestrado, ou ele estar fazendo algum truque, ventriloquismo digital, vai saber e a Ah-Ee ter visto o que ela queria ter visto quando falou com o seu eu do passado.

    Alias, falando no simbolismo, o nome dos personagens são simbólicos, ao menos no mangá fox mostrava que Ah-Ee está ligado a infância e El- Deung a ser o primeiro colocado e a obra faz vários trocadilhos com isso, que só foi explicado por nota de rodapé, mas deve melhorar ainda mais a obra original.

    Achei que a Ah-Ee no fim se tornou o contraponto dos demais personagens, pois realmente ela atingiu um equilíbrio em relação aos demais personagens extremistas da série.
    No começo o sofrimento excessivo dela, o abandono dos pais e cuidar dos irmãos me lembrou outro Manhwa que eu li, aliás um dos únicos hárem que acho legal, o girl of wild’s, ele estabelece uma inversão no papel social do homem e mulher, com o protagonista que é até bem interessante.

    Agora me pergunto se o abandono do lar, não seria um problema recorrente na Coreia.

  9. Olá!

    Ainda não tive oportunidade de ler Annarasumanara, então no lugar de qualquer comentário irei indicar outro manhwa, DANGU. Uma excelente obra, com um excelente plot twist!

    Abraços do KING!

  10. Li Annarasumanara graças ao primeiro post do mangasunderground falando sobre a obra, e realmente foi maravilhoso, adoro histórias que me deixam com uma agradável sensação pós leitura, e essa é uma delas. Enquanto lia partilhei das mesmas sensações que vocês descreveram no Manga², “será que ele é mágico mesmo?” “mas como ele fez aquilo então” e é realmente muito bom ver como tudo se desenrola no fim, gostei muito da série e tento espalhá-la a recomendando para meus amigos apreciadores de quadrinhos. E parabéns pelo podcast, é a melhor pedida na minha viagem diária de ônibus, uma hora de viagem passa em segundos.

  11. Esse manhwa tava encalhado na minha Wish List faz tempo e só agora eu resolvi ler por causa do Mangá Enquadrado.Realmente, é um webtoon que valeu muito a pena ler, gostei de todos os personagens principais, além da arte que foi um achado para mim em relação a webtoons.
    O tipo de arte e simbolismo nesse manhwa é realmente inovador, especialmente na parte do jardim florido e na parte dos bonequinhos de papel.Ao ler esse manhwa, eu tive a mesma sensação de ler aqueles livros infantis na época do fundamental, em que tinha um mundo monótono e preto e branco que aos poucos era colorido com a ajuda dos personagens principais.

    Eu consegui fazer um paralelo do enredo desse mangá com a história da Cigarra (mágico) e da Formiga (Yoon-Ah-Ee), Peter Pan, o filme A Princesa e o Sapo da Disney e o
    one-shot Island.A diferença que em Island a Aira usa o conhecimento dos livros para garantir seus sonhos.

    Para terminar, a trilha sonora de leitura que usei para ler a obra foi a OST de Annarasumanara que achei na internet e também as músicas de Nat King Cole, que caem como uma luva para bons mangás com romance, mas combina também muito bem com Annarasumanara:Aí em baixo seguem os links:

    http://pastebin.com/efCyMg0v Annarasumanara Reading Soundtrack

    http://ecchimustdie.wordpress.com/annarasumanara/ (Para ler em português)

    http://youtu.be/–XCPVIDeVs (Stardust – Nat King Cole, combina com cenas do manhwa, como ela indo ao parque de diversões).

    Eu ia recomendar esse mangá Immortal Rain para vocês,mas como a Lobo já recomendou não vai precisar mais.Estou no volume 9 (já terminando) e esse mangá foi um shoujo diferente de todos que já li, eu até me lembro de ter recomendado esse mangá para o Estranho no twitter junto com Skip Beat! como Slam Dunks do gênero shoujo.Tem outros mangás do tipo também, mas eu vou passar os nomes por e-mail junto com o que eu achei mais de Annarasumanara com spoilers.Esse mangá é que nem Annarasumanara e Tetsugaku Letra, deve ser lido com o mínimo de hype possível, a única coisa que você precisa saber que é um romance de uma garota de 14 anos e um cara imortal de 624 anos.O resto, já é lendo a história.Ah,e prestem atenção no antagonista da série também.O Problema que a scan em inglês é do volume 9-11, os volumes 1-8 são escaneados de uma edição da Tokyopop, do volume 2 em diante recomendo a versão português do FansubBR que é editado com a raw.

  12. Quase que não consigo terminar de ler antes de sair um novo Manga²….mas consegui, no último minuto mas foi kkk….realmente é muito bom, fez até eu repensar alguns conceitos de minha vida, ótima obra, obrigado por me fazerem lê-lo o

  13. Fiquei em dúvida se mandava e-mail ou comentário e no final vim parar aqui.
    Segui a recomendação de vocês e li Annarasumanara, foi minha primeira leitura de um manhwa /webtoon e gostei bastante.
    A respeito do flashback do mágico eu fiquei um pouco surpresa sim, acho que encorporei demais a Ah-Ee e tudo que ela sentiu foi mais ou menos o que eu senti também.
    Bom, obrigada pela recomendação, a leitura foi muito proveitosa e reflexiva 🙂
    Ah, vou procurar o OST pra ouvir! o/

  14. Nossa, tava louco para ouvir um podcast sobre essa obra. A um tempo atrás ia até perguntar a você no twitter se tinha, mas me dei o trabalho de vim procurar e realmente tinha haha. Enfim, ficou muito bom e gostei que não deixaram nenhum ponto que eu queria ver comentado escapar.

    Li a obra tem um tempinho já, talvez uns 4 meses? mas ouvir o podcast agora e deu vontade de ler novamente. E é sim um das minhas obras favoritas. A obra realmente prende o leitor e o deixa sempre questionando sobre a existência ou não de algo sobrenatural ou até mesmo sobrenatural e maligno em toda aquela ‘situação’

  15. Pingback: Rodapé: Assassination Classroom e a Escola | AoQuadrado²·

  16. Finalmente estou eu aqui ouvindo o podcast de vocês sobre Annarasumanara.
    Muitas partes que vocês comentaram que comecei a me tocar agora, apesar da grande parte que o autor expõem o simbolismo nas paginas como vocês disseram a leitura é muito fluida por ser vertical e ter poucas falas e por isso apesar de achar interessante os recortes e tudo eu mal parei para refletir sobre o significado desses símbolos e continuei lendo.

    A obra não por apenas ter o seu formato mas pelo desenvolvimento da história por si só já é muito interessante e talvez por isso me dediquei a pensar menos nas paginas de simbolismo,e só agora estou tentando analisar.

    Outro fator que vocês comentaram que achei muito bom de ter ouvido é justamente a dúvida que sentimos quando o R faz a magica e vocês por inúmeras vezes fica na duvida se é ou não é HUASHUASHUAUHSA
    Queria ouvir como as pessoas se sentiram nessa parte.
    E outra coisa legal é que na cena que o R leva a Ah-ee para o passado e aparece a garotinha parecida com ela e ela mesmo a consola, nesta parte eu realmente achei que fosse magica. Enquanto vocês tiveram a visão que foi um “coincidência”.

    O interessante é que o Autor me fez acreditar que aquela cena foi realmente uma magica enquanto vocês já tiveram uma visão diferente sobre a cena.
    Já havia gostado do mangá, mas após ouvir esse podcast consegui avaliar minha percepção melhor e acabei gostando mais ainda dessa obra.

  17. Pingback: Coming of age e a Adolescência | AoQuadrado²·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s