Mangá² #48 – Mangás de Esporte

Sejam novamente bem vindo ao episódio idol do Mangá², o podcast que não pratica nenhum esporte.

Desta vez, vamos falar sobre a lenda e o preconceito que cerca os mangás de esporte. Você gosta de mangás de esporte? Conhece alguém que detesta e se recusa a ler? Por que acha que isso ocorre? E vamos além: qual é a validade e a relevância de um mangá de esporte? Por que ler um? Será que seremos conclusivos desta vez?

E a recomendação da semana será o terceiro mangá de esporte recomendado no Mangá²! Um mangá de esporte que não é bem de esporte!

Contato

O seu contato é muito importante pra nós! Queremos sempre a sua participação comentando os episódios, enviando sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios e críticas, qualquer coisa!

O email para contato é: contato@aoquadra.do

E lembre-se de encaminhar seu arquivo .mp3 com uma gravação de sua própria Recomendação do Ouvinte, que será incluída a cada 5 episódios!

Links Comentados

Vídeo sobre crítica, enviado por Ruben Sombreireiro (dos 15:40 até 29:10)
Blogs citados: Elfen Lied Brasil, All Fiction, Glodosbora

Cronologia do episódio

(00:20) Discussão Semanal – Mangás de Esporte

(22:55) Leitura de Emails

(42:00) Recomendação da Semana – Donten Prism Solar Car

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

50 Respostas para “Mangá² #48 – Mangás de Esporte

  1. Sobre saber um esporte para acompanhar um mangá, também concordo que não é necessário.

    Acompanho Rookies que é um mangá de baseball e Teppuu que é um mangá de MMA e nada sei sobre ambos os esportes, porém gosto muito da experiência(mesmo que não seja máxima) que eu tenho com elas.

  2. Olá!

    Tenho que admitir que sempre tive receio com obras que envolvam esportes pelo simples fato que não sou um fã incondicional de esportes, com a rara de exceção de futebol americano.

    Então, após desse mangá² irei pesquisar e quiçá me aventurar em algum mangá sobre futebol americano.

    Abraços do amigo K.Buddy Holly! Eternamente ITs ALIVE do blog Filmes do Pato Morto!

      • estranhow,

        influenciado pelo podcast irei ler os primeiros capítulos de três mangás de esporte: o sugerido pelo amigo Eyeshield 21, No Huddle (apenas pelo título) e um outlier, Tennis no Oujisama (esse pelo antifandom).

        K.Buddy Holly!

  3. Ta aí um tipo de mangá que eu adoro. Pessoalmente não entendo muito quem tem preconceito por não praticar o esporte ou por não gostar de jogar ele IRL. Só pratico tênis, e isso não me impediu de amar Hajime no Ippo, Hikaru no Go, Major, entre outros ( ainda não li Slam Dunk, me perdoem). E já que vocês falaram nele, recomendo muito Baby Steps. Ele explica muito bem o esporte, as estratégias, treinamentos e etc. O crescimento dos personagens(principalmente o principal) é muito grande e muito boa. Infelizmente a tradução da scan americana tá meio lenta, mas isso dá um tempo pra quem quiser ler chegar no atual do scan.

  4. Se alguém se interessar por ler algo de beisebol, procure por Rookies.
    O Manga conta sobre um time escolar que foi banido por um ano por provocar uma briga no meio da partida. Agora, só com delinquentes que não se importam com o esporte, um novo professor vai aprender a jogar pra colocar esse caras na linha, e quem sabe ir até o koshien.
    Bom de rookies é que não precisa ter um grande conhecimento prévio do esporte, diferente daiya no a, ja que você vai meio que aprendendo com os personagens.
    É um ótimo manga de esportes e pra quem curte slam dunk é um prato cheio.

      • Vocês não eram parceiros deles a um tempo atrás, não é? Considero os dois grupos os melhores em reviews e podcasts de mangás, seria legal se vocês fizessem um Podcast especial juntos comentando sobre mangás.

    • Não querendo iniciar uma querela, mas a única vez na qual comentei no Ecchi. além de argumentar contra o vazio, fui sumariamente censurado com meus comentários ou não sendo publicados ou ainda deletados.

      Infelizmente serviu para ver que alguns blogs ou não possuem a seriedade necessária (não que isso seja um empecilho desde que assumida o amadorismo) ou se colocam em uma posição taxativa de conhecimento.(sem contudo apresentarem as devidas credenciais).

      Apenas menciono isso – provavelmente como um desabafo – não desejando de maneira alguma qualquer contrapartida, seja por um lado, seja pelo outro, mas igualmente preferindo a independência do MangásUndergrounds e do Mangatologia.

      K.Buddy Holly!

      • Não contra a união do MangásUnrground e do Mangatologia (afinal sequer lembro a partir de qual comecei a ler e escutar os reviews), mas sim contra a sugerida pelo Beelzeboss (e contra em termos, porque afinal como dizia o poeta “é tudo da lei”).

        K.Buddy Holly!

  5. Eu tenho tudo q vcs recomendam na PTR XD mais são coisas q peguei faz um tempo num site gringo e por coincidencia foi falado aqui. Assim, mas to falando do podcast apenas, pois eu separei o q queria dos reviews.

    Sobre o q falei nos comentarios do podcast anterior, eu tbm achei q pego mal esse “simples explicação”. Sei que de simples não tem nada, e talvez uma melhor definição seja “uma pesquisa que tenta explicar ou discutir certos pontos”. Eu tava mais tentando passar a ideia do lado emocional por parte da resenha que acabei me desviando um pouco (ok, talvez muito).

    E po, tem muita gente que recomenda obras apenas por que as fez chorar, já vi muito isso.

    So pra terminar, nunca quis generalizar, essa e mais a forma que eu vejo e faço meus textos.

    • Realmente, recomendar pois ela sentiu alguma emoção, não é justificativa.

      Imagina se todas as meninas recomendam shoujos que as emocionam e chega lá é aquele mais do mesmo de sempre.

      • Sim. mas ai e que entra saber selecionar, alem e claro da carga de mangas que já leu. E dificil explicar, eu so tentei definir uma parte que me influencia em selecionar o que vou resenhar ou não.

  6. no meu caso eu nunca tive preconceito com mangás de esporte ,sempre tive a filosofia de que um bom mangá não depende do tema mas sim da criatividade do autor

    e se não gosto de basquete por que leria um mangá de basquete?
    eu não vejo problema nisso ,não considero isso como preconceito da pessoa ,mas apenas gosto pessoal
    afinal eu não vejo yao hentai pois não gosto de ver homens tendo relações sexuais
    dai me chamar de preconceituso por causa disso , não seria diferente de chamar de preconceituoso o cara que não le mangás de esporte por não gostar de esportes

    • Sim, mas os dois exemplos citados por você são preconceituosos, pela definição da palavra, lol. Você está julgando que uma obra X deve ser ruim, ou deve não te agradar, apenas baseado em uma característica dela, sem ao menos lê-la.
      É o que falamos no programa, o mangá de basquete muitas vezes independe do basquete. Você pode odiar o esporte e gostar do mangá. O mesmo pra sexo entre dois homens, que carrega um estigma muito maior.
      O maior problema do yaoi é ser ruim artisticamente, com histórias ruins por si só, independente de se mostrar relações homossexuais. Se desse pra fazer uma história boa com relações homossexuais, leria sem problemas. Brokeback Moutain tá aí como um exemplo de que é possível, o problema é a falta de ambição dos mangakás yaoi. Diferente dos mangás de basquete. 🙂

      • no caso não estou julgando a qualidade de mangá X ,mas simplismente falando da falta de interese como citei se a pessoa não gosta de basquete ,naturalmente não vai ter interesse em um mangá que trata do mesmo independente da qualidade do mangá,não que a pessoa ache que o mangá é ruim pois se trata do esporte que ela não gosta ,mas por que não vai despertar o interesse da pessoa e fazela ir atraz daquela obra
        é logico que tem pessoas que falam que mangás de esporte são ruins simplesmente por não gostar do esporte
        mas acho errado generalizar e apontar de preconceituoso qualquer pessoa que não leia mangás de esporte por não gostar de esporte
        pois se for radicalizar,então todos nós somos preconceituosos em algum aspecto já que sempre vai haver algo o qual não temos interesse
        tipo o cara não tem interesse em poesia chinesa do seculo 18 ,então ele é um filho da puta preconceituoso ?

        • Não, a questão não é não ter interesse. Dá pra não ter interesse em infinitas coisas, em tudo aquilo que você jamais conheceu. Não ter interesse em poesia chinesa faz sentido se você jamais teve oportunidade de estar em contato com ela, mas estamos restringindo o mundo aqui para mangás especificamente.

          No mundo dos mangás, você tem disponível diversos títulos de esporte. Se você tendo disponibilidade e ainda assim não lê-los apenas porque não gosta de esporte, seguindo o significado original da palavra, você está sim sendo preconceituoso.
          E mesmo que você não leia por priorizar outros títulos… ainda assim está sendo preconceituoso de alguma forma, pois está julgando eles menos relevantes por serem de esporte do que outro tipo.

          Mas a questão que talvez esteja confuso pra você é que não estou dizendo que isso é negativo em nenhum momento. Realmente temos que ter prioridades, e as vezes isso não está nos nossos interesses imediatos experimentar algo diferente. Porém o exemplo que você citou é de alguém que não gosta de basquete e não quer ler um mangá de basquete APENAS por causa disso; ou seja, está julgando que não é relevante pros seus interesses antes de conhecer o mangá em si, baseado em alguma experiência prévia que não tem relação intrínseca com a obra. Ou seja, essa pessoa tem um conceito prévio do mangá; um preconceito.

  7. Eu acompanho Yowamushi Pedal (http://www.mangaupdates.com/series.html?id=23870) atualmente apenas, que eh sobre ciclismo. Um dos pontos fortes eh o conhecimento do autor sobre o esporte, dah pra ver que ele eh ciclista. Ele explica tudo, principalmente sobre os equipamentos dos ciclistas e tecnicas.
    Eu lia Attaque tambem (essa eh uma webcomic) que era sobre esgrima. Eu achei inicialmente interessante (pelo problema do protagonista), mas eh muito dificil de acompanhar por ser muuuuuuito lento.
    Well, se fosse pra trazer um manga de esporte que tivesse chances de vender, podiam trazer Kuroko. Por mais que tenha as haueaaeueahu fangirls, o publico eh bem dividido entre masculino e femino, tenho que concordar com isso. De manga de futebol: dizem que Giant Killing, dizem que eh bom, mas nao se venderia no Brasil.
    Ah, comecei Necromancer, li uns 4 capitulos. Nao gostei muito, quando terminar opino melhor.
    E que voces estao achando sobre esses concursos de manga da Shounen Jump e da JBC?
    Eu smpre desenhei muito e sempre fiz roteiros, porem, tah foda pra fezer isso.

    • Yowamushi Pedal é um mangá que tava na minha “Waiting Scans List” há muito tempo, fiquei feliz quando começou a sair. O autor tá se desviando de clichês óbvios e mantendo meu interesse, tá muito bacana!
      E sobre a pergunta, leitura de emails! 🙂

  8. Nunca li nenhum mangá de esporte (nem Slam Dunk), mas com esse podcast me sinto na obrigação de ler. Nunca tive preconceito com mangás de esporte, pra mim o mangá só precisa ser bom, não importa a temática. Agradeço pelo podcast e espero ter uma boa experiência com mangás de esportes.

    • O meu é Android. Uso o A Comic Viewer (ACV). Não é perfeito, mas nunca me deu problema. Só de vez em quando ele zoa páginas duplas, deixando com baixa resolução, mas nada grave.

  9. Nunca tive frescura ou preconceito de ler mangás de esportes,tanto que um dos meus favoritos é o Eyeshield 21.
    E queria parabenizar o Judeu pela matéria sobre Soul Eater publicada originalmente no Gyabbo!,que saiu na Neo Tokio n°87.
    Em breve mandarei r uma recomendação em audio,mais antes queria deixar uma sugestão,posteriormente ao programa 50 vocês poderiam adotar aquele sistema quejá comentara,uma recomendação do Estranho,uma recomendação do Judeu e uma recomendação do ouvinte.

    • O complicado é que precisaríamos de garantia que teria recomendação sempre, e pela velocidade com a qual elas andam chegando, não tá dando pra colocar fé. Quem sabe mais pra frente.

    • Confesso que só dou uma folhada na Neo Tokyo, mas depois dessa vou pegar aqui na editora e dar uma lida na matéria.

  10. Nunca tive preconceito com o gênero, mas acho que a dificuldade com o gênero é o interesse por esportes, dificilmente conseguiria ler um mangá focado em um atividade que não tenho curiosidade ou goste como, os de peteca e outros gêneros mais peculiares da cultura japonesa.

    Acompanho Hajime no Ippo, mas o que fez eu ir atrás, foi eu já gostar de Rocky Balboa, assim dei uma chance para série, já queria fazer boxe na época e gostar dos dois fez eu começar a praticar o esporte.

    Assim como Eyeshield 21 que eu comecei a companhar quando um amigo criou o a equipe Devil Bats, e me chamou pra jogar Flag (aquele que é tipo de futebol americano, só que adaptado)então acompanhei a série, mesmo praticando o esporte por pouco tempo.

    E teve os que fui atrás por curiosidade, como Major que sempre tive curiosidade de entender Baseball, vi 3 temporadas, achei o anime legal e tudo, mas até hoje não entendo o esporte.

    Acho que desde já, com as copas das confederações alguma editora poderia ter apostado em uma obra de futebol, mesmo que fosse Tsubasa, que além do Hype para quem acompanhou antigamente, se você coloca um poster na banca do Tsubasa com a camisa do São Paulo ou Barcelona, ia chamar muita atenção do leitor casual, mesmo que na fase de lançamento do mangá ele não esteja nesses clubes. Quando a copa chegasse o mangá já poderia estar estabilizado e até mesmo aumentar as vendas.

    Claro isso se os Japoneses quiserem licenciar a obra.

  11. Posso dizer que tinha um certo preconceito com mangás de esportes e até hoje tenho um pouco. Sempre tive receio de começar a ler mangás de esportes porque sempre achei que seria difícil entender o mangá sem conhecer o esporte e às vezes fico confuso em outros mangás que aparece esportes esporadicamente, por isso penso duas vezes antes de começar um mangá de um esporte que não conheço, exceção foi Hikaru no Go que foi uma das melhores leituras que tive. Por isso, talvez, eu esteja perdendo muita coisa boa.

    Também gosto de mangás de esporte que se aproximem ao máximo da realidade, por isso que não li Kuroko no Basket até agora mesmo com recomendações, pra mim não faz sentido fazer um mangá de esporte que extrapole as regras do próprio esporte. Hoje leio Haikyuu!! e estou gostando muito, talvez ele seja o mangá que me fará tirar mais o preconceito de mangás de esporte.

  12. Legal, calhou de ter um jogo bem shonenzesco entre o Japão e a Itália na semana do podcast. Timing perfeito haha. Deu vontade de ir atrás de alguma obra de futebol, mas não conheço nd tão surpreendente ou que me chame a atenção

  13. ”Não sei porque ler um mangá de esporte, podendo ligar a tv e assistir um jogo real”
    ”Não sei porque ler um mangá slice-of-life, podendo ligar a tv e assistir o BBB”

    Eae?

    • Um dia você pode estar sem televisão, internet e namorada. Nesse momento vão estar os mangás ali na sua prateleira fria e escura esperando para acabar com o seu sofrimento pela falta de entretenimento e convívio social.

  14. Eu não tenho preconceito com os mangás de esporte. No geral, eu gosto muito obras de esporte, sejam filmes como Moneyball, os documentários da ESPN, filmes que abordam mais do que o esporte como o “Nos Somos Marshall” e Rocky, o anime Major, o mangá de Slam Dunk e etc.

    O Major é a minha obra de esporte favorita. Não sabia nada de baseball até assistir o anime e eu consegui entender o básico do esporte. Por causa do protagonista, eu prefiro Major ao Slam Dunk (não me joguem pedras).

    Eu só não costumo acompanhar obras de futebol. Apesar de ser o meu esporte favorito(sou torcedor de arquibancada) o jeito que o futebol é tratado me incomoda. Já tentei ler alguns mangás como Area no Kishi e Giant Killing, mas nenhum deles conseguiu retratar o futebol de uma maneira que me interessasse.

    Fiquei curioso com o que vocês falaram sobre o Hikaru no Go, vou colocar o mangá na minha lista.

  15. oroshimaru falou essa parada de vento no inicio do manga quando ele tentou destruir konoha e pra mim fez sentido.

  16. Vou aproveitar a área dos comentários desse podcast e farei uma pequena confissão…

    Há uns bons anos atrás, eu tinha um certo preconceito com mangás esportivos por um dos motivos falados por vocês no podcast: “Nah, nem gosto de esportes na vida real, por que eu iria gostar num mangá?”. Mal sabia eu a besteira que estava dizendo, ahuhauhauhauhua

    Daí, um belo dia, eu decidi me aventurar em um e comecei Eyeshield 21 e li alguns volumes e aquilo foi divertido demais, gostei muito (Confissão²: Estou devendo de terminar ES21, nessa época que eu tinha lido, li uns 11 volumes mas não terminei… esse ano pretendo reler, só que dessa vez com a intenção de ir até o fim), e então, aquilo quebrou esse meu “bloqueio” pra ir atrás de outras obras do gênero e acabei conhecendo coisa muito legal, como por exemplo… Slam Dunk, que foi paixão à primeira vista e hoje eu o coloco com muito orgulho no meu Top5 de melhores mangás completos que já li na vida (junto com coisas do naipe de Lobo Solitário, Ushio to Tora, Jojo’s Bizarre Adventure e Kokou no Hito), tanto que até fiquei com vontade de dar umas encestadas após ler, LOL!

    Hoje eu aprecio mangás de esporte como aprecio qualquer outro tipo de mangá, ou história em quadrinhos de uma forma geral e confesso que ainda há muitas outras obras do gênero que tenho muita vontade de ler, mas ainda não li, mas pretendo fazer isso logo logo …tipo ler Last Inning, Karate Shoukoushi Kohinata Minoru, Initial D, Yawara (quando acabarem as malditas das scans!), Hanza Sky (quando acabarem as malditas das scans!²) e até Captain Tsubasa (nem que seja só pelo valor histórico)…

    Espero que algum ouvinte que se comporte como o eu de anos atrás antes de conhecer ES21 ouça esse cast e vá ir atrás de algo do gênero pra ler, a recomendação do Estranho de Donten Prism Solar Car se encaixou muito bem pra isso… É um mangá bem bacana mesmo…

    No mais, ótimo programa como sempre, caras!

  17. Sou do time que não dá muita bola pra esporte, e por isso acabo limando essa categoria de tudo que gosto (Filmes, video game e quadrinhos). A única exceção foi Slam Dunk, que li no início desse ano, e foi uma das experiências mais únicas de leitura que já tive (sim, isso é algo excelente!).

    E li muito os textos do site do Animehaus na época que eu estava no ensino médio e faculdade. Realmente era um site excelente, e muitos dos melhores animes que assisti foi graças a eles (Boogiepop Phantom, Dennou Coil, Fantastic Children, obras do Satoshi Kon entre outros). Espero que esse novo site do autor prospere =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s