Mangá² #45 – Mangás Ruins

Sejam novamente bem vindo ao episódio 45º do Mangá², o podcast que não importa o quão ruim fique, nessa altura do campeonato, ninguém vai deixar de escutar.

Na discussão dessa semana, resolvemos abordar um tema bastante comum no nosso dia-a-dia: a leitura de mangás ruins.

Afinal de contas, por que continuamos a ler obras que sem remorso algum consideramos ruins? Por que não largar? Há mérito em recomendar mangás ruins para alguém? Será que a leitura de mangás ruins pode ser… boa?

E a recomendação da semana, como já de costume em programas múltiplos de 5, tivemos uma Recomendação do Ouvinte, mais especificamente do Naraki, que recomendou um mangá que pode mudar a sua visão sobre um universo que você já conhece.

Contato

O seu contato é muito importante pra nós! Queremos sempre a sua participação comentando os episódios, enviando sugestões de pauta, sugestões de leitura, dúvidas, elogios e críticas, qualquer coisa!

O email para contato é: contato@aoquadra.do

E lembre-se de encaminhar seu arquivo .mp3 com uma gravação de sua própria Recomendação do Ouvinte, que será incluída a cada 5 episódios!

Cronologia do episódio

(00:20) Discussão Semanal – Mangás Ruins

(26:00) Leitura de Emails

(37:45) Recomendação da Semana – Pokemon Adventures

Download (CLIQUE COM O BOTÃO DIREITO DO MOUSE E ESCOLHA A OPÇÃO “SALVAR DESTINO COMO…” OU “SALVAR LINK COMO…”)

67 Respostas para “Mangá² #45 – Mangás Ruins

  1. Meus cumprimentos por “I want wind to blow” do The Microphones ali. Um dos meus 10 discos favoritos. Devo dizer também que os “uhum uhum”s do estranhow são tão recorrentes que já estou sagazmente os antecipando.

    E só batendo na mesma tecla que vocês: é preciso ler mangás ruins para aprender o que é ruim. Ler coisa ruim é aula. E xingar coisa ruim é terapia.

    • Hehe, valeu, é um álbum que também coloco facilmente no Top10. É um que tem vaga fixa no meu celular, nunca tiro ele porque vira e mexe sempre entro no clima pra escutar de novo.

      Also, fico feliz que alguém que tenha reconhecido se manifestou, sempre é bom saber!

  2. bom eu jamais dropei um mangá ou anime ,se eu começo uma coisa tenho que ir ate o fim ,minha curiosidade é muito forte eu preciso saber o final daquilo ,mesmo sabendo que vai ser uma merda ,e por causa disso já li muita merda ,mas não me arrependo de nada ,pois no fim adquiri um pouco de expeiencia
    as vezes leio mangás que a maioria cita ser ruin só pra ver se é tão ruin assim
    tambem tem aquele negocio,de que não da pra agradar todo mundo por exemplo slam dunk que a grande maioria diz ser um mangá exelente já vi gente dizendo que não gostou do mangá e acha ruin
    tem alguns casos mais comnplicados como code geas esse anime é “amar ou odiar” por isso é um daqueles casos que digo veja por sua conta e risco você pode gostar
    sobre os mangás infinitos eu sinceramente não recomendo ,o tempo que uma pessoa gastaria pra ler os 700 capitulos de one peac,ela poderia ler muitos outros mangás,e ainda mais ela corre o risco de nunca ver o final desse mangá pois o autor pode morrer a qualquer momento

    e conheci uma vez um cara que só lia mangás bons ,ele dizia que não perdia tempo lendo mangás que ele jugava ruins ou ate mesmo medianos ,e na boa esse cara era chato pra caraio

    • “e ainda mais ela corre o risco de nunca ver o final desse mangá pois o autor pode morrer a qualquer momento”
      Acho isso uma desculpa na verdade. Não e tão comum assim de isso ocorrer.

      E o autor de uma obra curta pode morrer antes de termina-la também

      • no caso de one peac tem uma estimativa do mangá durar pelo menos mais 10 anos,ou seja se o cara começar hoje quando alcançar os capitulos atuais,vai ter que passar anos acompanhando semanalmente ,só pra no fim o autor morrer e não ver o final
        eu sinceramente duvido que one peac va ter um final ,pelo tanto de dinheiro que o mangá da ,a sueshi não vai permitir que ele termine,alem do fato que se o oda quiser ele pode enrrolar pelo resto da vida

        não vamos nos esquecer do recente doença do oda ,ele podia ter batido as boatas ,nada garante que ele vai sobreviver a proxima

    • Cara ele so teve uma doença na garganta lol E porra, o q são 10 anos? sem contar q o autor tem so 38.

      Cara se ficar nessa de não ler mangas grandes achando que o autor vai enrrolar (coisa q acho q o oda não faz) ou morrer vai perder mangas bons. Nem tudo q e grande e ruim e tal.

      E na boa, se isso de ser sucesso na jump fosse motivo pra o manga durar pra sempre dragon ball nunca teria acabado.

      E outra, qual o problema de acompanhar algo semanal por um longo tempo?

      • Obras muito grandes como essa tem o final já determinado, muitas vezes guardado em algum local/ contado pra outra pessoa encarregada de outra àrea da obra( No caso de Game of thrones, por exemplo, os diretos da série já sabem o final dos livros para caso o autor morra ).
        Mesmo que ocorra do autor morrer( o que é muito raro mesmo), o final cru vai estar lá.

  3. Geralmente o que me motiva, ou serve de desculpa como vocês falaram, é pensar no tempo que já gastei lendo aquela obra.
    Ou por exemplo, como em Bleach que você sabe que está ruim, mas você tem aquela esperança de voltar a ser bom em algum momento, ou mesmo só para saber como vai terminar a obra depois de todo esse tempo.

    As vezes também ler semanalmente um mangá acaba desanimando, e parar e dar uma tempo para depois ler tudo de uma vez acaba sendo bom, fiz isso com One Piece na ilha dos triões e com Naruto no fase pré guerra, e pra mim acabou valendo a pena.
    Já com Bleach, não deu certo, tanto que pulei metade do arco dos Fullbringers

    Sobre Naruto é verdade que a série teve vários momento ruins durante a série, mas teve vários momentos bons, que deixam a obra com um saldo positivo ainda, e acho que vale sim a pena recomendar Naruto pela obra em si.

    Sobre Hajime no Ippo, é uma ótima obra sim, até por ser longa ela explora a fundo e muito bem todos os personagens e não só o protagonista, um exemplo é como se em Naruto tivéssemos momentos mais focados e entrando mais no íntimo (no bom sentido claro) da Ino, da Ten Ten, do Kiba.
    Mas hoje pra ler mais de mil capítulos só recomendo se você gostar de Boxe, pois tem muita coisa interessante do tema na obra, abordando muito bem o pré luta e pós luta tanto quanto a luta em si, além de curiosidades do esporte.

    Sobre a recomendação é uma mangá que eu só li as edições que saíram pela Abril aqui no Brasil, gostei bastante na época (o que 12 anos atrás), realmente é um mangá que sempre tive uma curiosidade e o Naraki me persuadiu a começar a ler a obra.

    Semana passada não deu pra comentar a tempo, mas foi muito bom o podcast com o Sakuda tbm.

  4. Boa recomendação do Naraki, eu li só o primeiro arco quando era criança, mas agora deu vontade de ler o resto, uma vez que até hoje eu acompanho os jogos da franquia kkk…

    Uma recomendação minha relacionada a isso é a página http://viridiancitypokecenter.tumblr.com/

    É um quadrinho curto (ao menos só saíram até o momento 2 capítulos breves) feito por fã baseado no universo pokémon, só que com uma pegada toda Noir, com crimes, detetives e tal…

    Não é um mangá, mas como Arte sequencial é bem legal e acho que vale a pena ser lido kkkk

  5. Decidir se um mangá é ruim ou não, é uma questão muito pessoal, sempre há alguém que não gosta de uma obra por mais unanime que ela seja entre os leitores, alguns foram ditos como Slam Dunk, 20th Century Boys, etc. Além de ser pessoal depende das experiências de leitura da pessoa em questão e vários outros quesitos. Talvez até por isso vocês não entraram muito na questão do porquê uma obra é ruim.

    Se vale a pena ou não continuar uma obra ruim eu pelo paro não importa onde esteja quando decido que não vale mais a pena. Geralmente eu paro quando eu tenho um sentimento de que estou lendo por obrigação e está massante a leitura. Levo em conta o tempo que gastei anteriormente, mas tem casos que não dá mesmo para continuar. Já sobre mangás que ainda são novos ou curtos fica bem mais fácil decidir parar ou não, tanto que a maioria dos mangás que droppo ainda estão no inicio, com as séries novas da Jump faço isso direto.

    Não recomendo mangás ruins, até porque me esqueço facilmente deles e não me surge eles a mente para recomendar, mas se alguém vier pedir minha opinião sobre determinada obra eu posso dizer se acho ela boa ou ruim, mas deixando bem claro que essa é minha opinião, não impeço a pessoa de ler, mas aviso baseado na minha opinião.

  6. Alguns mangas² eu acho ruim e escuto do mesmo jeito,esse eu escutei até o fim e achei uma merda!
    eu penso que ninguém lê mangá ruim porque quer,mas na procura por algo novo a gente se depara com os bons e os ruins,mangás ruins é uma consequência da procura por temas novos ,alguns podem não agradar,mas mangá ruim depende muito do gosto também.Tenho um amigo que acha to love-ru as mil maravilhas,pra mim a única coisa que salva é arte do autor.

  7. só consigo escutar vocês de noitão, pois não consigo baixar de dia sem dar problema no download e quando só coloco pra ouvir sem baixar o negócio vive travando, mas sempre que consigo ouvir acho que vale a pena passar por esses pequenos sofrimentos.
    #enfrentandobarreiras#kekkaishi#help#sofrendo#tiponet#zuação

  8. Gosto de acompanhar coisas ruins, se não eu nem via esse podcast =x

    Agora falando serio, eu baixei varias vezes e episodio e seila pq ta vindo cortado nos 10 mins. chega nesse ponto, acabou

  9. Já decidiram o mangá que vai entrar no lugar de One Piece? Eu voto em Ansatsu Kyoushitsu, faz tempo que não comentam dele.

    Algo que eu queria recomendar há um tempo e sempre esqueço. Lembro de uma tentativa de “quadro” no ToCast que era, naquele caso, um debate ideológico sobre L e Light pra decidir quem estava certo. Tinha até um juiz. Queria dar a ideia de fazer isso no Mangá², pois achei um estilo muito interessante e pertinente, já que, como falaram em algum poadcast, os debates hoje em dia se resumem a xingamentos. Vocês são dois, têm muito assunto pra ser tratado, talvez pudesse ser um quadro novo como o Mangá Enquadrado, focando em assuntos de obras específicas ou da mídia como um todo que vocês discordem. Enfim, uma ideia que achei interessante e achei uma pena não ter prosseguido no ToCast, mas que poderia ser ressuscitada com esplendor.

    • Já gravamos o podcast semanal, verá do que falamos. Sobre a sugestão, eu queria voltar com ela um dia, mas acho que o tema cabe mais no ToCast que no M2. Mas veremos, veremos.

      • Pensei que poderia ser legal pelo fato das discussões de vocês não terem muitas opiniões contrárias ou debates. Assim poderíamos ver os dois defendendo ideias próprias. Acho que o formato é mais “solto”, por isso funciona bem no ToCast, mas com algumas mudanças poderia ser um debate mais “sério”. Ou não, sei lá.

  10. consegui baixar e dessa vez veio certo XD

    Olha, não gostei de alguns pontos nesse episodio em especifico. Primeiro que ao falar dos mangas longos vcs deram a impressão que mangas grandes não valem a pena ser lidos, e discordo totalmente com isso. Ate entendo que não foi essa a intenção, ou no minimo acho q não foi, mas não me agradou.

    Sou a favor de se ler obras grandes seguindo a sua propria opnião, como foi dito no proprio cast. Vai la, le a sinopse, e descida sem ajuda se vai ler ou não. Serio, isso e uma grande evolução. Não basta ler so o que e recomendado por alguns, ou dito como bom, tem que saber procurar e definir um gosto proprio. As vezes tem aquela obra desconhecida que ninguem leu que vai te agradar imensamente, as vezes podendo ate vir a se tornar um dos seus favoritos.

    E ai que entra a outra parte que achei ruim no cast. Pareceu que vocês chegaram numa comclusão que contraria pontos que vcs falaram antes XD Mas nada que fassa o Manga² sser ruim.

    Seguindo essa logica, entra outra desculpa famosa. Se o resto foi bom, um ou seila, 10, capitulos ruins não tira a qualidade da obra. As vezes ate me pego dando notas baseadas nesse conceito.

    Quanto a leitura de mangas curtos, sempre tem aquilo de “ha, são poucos capitulos, lerei ate o final”. Isso já me fez ler cada merda cara. Acho que mais merda do que nos mangas longos, pois se estiver muito ruim vc larga com medo de ter outros 50 capitulos ruins, mas nas obras curtas você meio que ignora, as vezes ate mesmo utilizando a desculpa que de vez em quando e preciso ler algo ruim.

    Quanto a mangas que acho ruins, eu recomendo pra todo mundo Death Panda kkkkkkkkkkk Serio vei, e uma terapia ler aquilo.

    Agora a respeito de uma recomendação de vocês, que infelismente e perfeita para esse episodio, eu li ontem Bradherley no Basha e ela e uma obra…no minimo intereçante. Eu ate gostei da utilização de pontos de vista diferentes, e segui em frente pois teve capitulos, estes que por sua vez me parecem one-shots soltos em alguns casos, que foram legaizinhos. Acredito que o que me incomodou mais na obra foi o fato de eu achar tudo muito previsivel.

    Por conta desses poucos capitulos que gostei, pelomenos a obra ficou acima de muitas outras das quais não consegui tirar proveito nenhum, ou que tiveram algo que me incomodaram profundamente, e assim acabei por dar uma nota 7. Acredito que a arte tbm influenciou na minha descisão.

    • Não, acho que ou passamos a intenção errada ou você entendeu errado. Não tenho nada contra mangás longos, o problema nunca foi o tamanho do mangá. Falamos de mangás longos dito “ruins”, que não compensam um investimento. Um exemplo bem didático é Reborn: sua meia dúzia de capítulos bons não compensam HOJE que alguém comece a ler do zero.
      Mas o que falamos no final do podcast se aplica aqui também: você só vai saber se é ruim se ler a obra.

      E não vejo onde nos contradizemos. O podcast vai construindo os argumentos e pontos até chegar a sua (raríssima, aliás) conclusão; se um argumento não parecia bom o suficiente para ser considerado, ele logicamente será ignorado na conclusão.

      • Então, como eu avia dito, me pareceu que falaram aquilo sobre mangas longos, logo o final iria contradizer aquela parte. E não entendi errado, to falando que foi o que me pareceu, mas conheço o judeo tempo suficiente pra saber que tem nada a ver.

        Bem, no fim me expressei mal tbm.

    • Se eles tivessem falado isso no podcast, eu mataria os dois!
      Travesseiro na cara e um tiro Bang! estranhow x/
      Travesseiro na cara e um tiro Bang! O Judeu Ateu x/
      Bem, isso, ou só faria uma grande cara feia 😦 aqui em casa. Porque afinal, e Berserk, ahn, puro bom gosto em seus 37 volumes xD

  11. Nesse momento, eu estou terminando um mangá que se encaixa naquele quesito de “mangá que começa 10/10, mas vai perdendo a força e fica -10/10”, e esse bendito é Grappler Baki. Ele começa bom, vai melhorando, chega ao ápice, mantém e vai caindo pouco a pouco até chegar na porcaria que ele termina (falando por alto, é metade bom e metade ruim).

    E isso me lembra o que eu classifico como “meu lixo preferido”, aquele mangá ruim que você, por alguma razão, tem um apreço especial por ele. No meu caso, esse seria Busou Renkin.

  12. Ah e uma coisa que eu gostaria de saber. Tem chance de haver um ToC da série mangás de esporte?

    • Chance tem, mas o complicado é arranjar espaço na agenda pra gravar e editar! Mas se tudo der certo, ToCast volta ainda este semestre (pelo menos mais um ou dois episódios)!

  13. Sobre mangás em andamento que possuem muitos capítulos,porém valem a pena o tempo investido…

    Alguém saberia dizer se Berserk e(ou) Vagabound estão incluídos nessa categoria?

    • Para mim, Berserk e Vagabond valem muito a pena sim. O único negativo das duas obras é a demora para lançar capítulos novos depois que vc termina de ler…

  14. Sempre vejo gente falando mal do final de Eden, por isso não tenho vontade de ler, devo ou não devo?

    • Me arrependo de não ter compardo Eden quando pude. Então isto só deixa claro o qual bom ele é.
      Sobre o final, não que ele seja ruim, é até que muito bom, um final digno, eu digo. O negocio é que depois de um certo tempo em Eden, você já tá tão entranhado em personagens densos, tramas politicas, religiosas , dramas pessoais, filosofia e afins, que não há final, por melhor que seja, que não sera anti-climax. Imaginea você ‘amando’ uma super-gostosa dos sonhos, por mais que o júbilo seja bo,, você vai querer ter ficado mais tempo nela.

  15. Que droga! Comprei ano passado o box do Pokémon Adventures (que abrange os volumes 1 a 7, incluindo a personagem Yellow), mas não encontrei mais no Book Depository para deixar o link aqui. De qualquer forma, saibam que existe o box e vale muito a pena mesmo, especialmente aos fãs do game.

    Tem no site da VIZ mais informações: http://www.vizkids.com/products/products.php?product_id=10357

    Depois escrevo um email quanto ao tema, abraço!

  16. Sei n, se realmente é necessário ler alguma coisa que é ruim, para apreciar de verdade algo que é bom… gosto de acreditar que ele só precise ser bom mesmo. O grande problema é que agente uma hora ou outra esbarra nelas – o que fazer?
    Aprecia melhor quem tem uma relação com a mídia: vocês aqui que fazem o podcast, sempre analisando de mais de um ângulo o mangá lido; alguém que desenhe, apreciando artisticamente cada pagina virada – pra mim, na maioria das vezes, é só um veiculo que está me ajudando a compreender melhor a história. Quem traduz, edita, comenta, lê duas vezes, etc.

    Ah, sei lá, sei lá!… me embaralhei todo aqui na minha cabeça… fica o dito ai xD

    De ruim, atualmente lido, é Naruto e um HQ chamado The Boys. Ambos, pelo tal do investimento: li até aqui, agora vai, né.

  17. Sobre ler obras ruins, há duas ‘catigorias’.
    1 – é ruim, mas eu gosto muito.
    Acredito que vital separar gosto pessoal de julgamento de valor. Mas isto nunca me impediu de curtir, consciente, alguns lixinhos – CDZ, cof cof .
    Como em uns programas atrás, acho que foi o Estranho, falou que não curtiu o adorado 8 ½ do Fellini. Ora, assim como ele, qualquer pessoal, tem o direito de detestar uma obra de ‘incontestável’ qualidade, qualquer pessoal tem o direito de amar uma obra de ‘incontestável’ ruindade.

    2- é ruim, detesto, mas leio.
    Isto é estranho, mas creio que há subcategorias aqui.
    Acompanhamos por inércia – ‘no começo era bom, ficou ruim, mas não consigo parar’.
    Ler por obrigação – vai que tenho um cast e preciso fazer o semanal de uma tralha.
    Socializar – bem ilustrado no programa.
    Quero ver onde isto vai dar.

    Minha opinião. Se você esta na categoria 1. Continue. Mas se tiver na 2, estressar pra que, chuta pra la e caca algo que te diverti.

    Por fim, digo, Teto de vidro, duvido.
    Certa vez um colega da universidade questionou meu gosto por Paula Fernandes – embora eu goste de Bach e Pinky Floyd. Tudo bem sei que ela não o supra-sumo da musica. Mas me irritou a insistência do infeliz para me fazer parar de ouvir a moça, ora, o cara ate que entedia e muito bem de musica, embora fosse um fã de hard-rock e similares por tocar guitarra, mas eu contra ataquei com um ‘vai me dizer que você só ouve obra-prima, que na sua playlist não tem pelo menos uma bandinha medíocre ou uma musica fraquinha, que só tem Beethoven ai ’. Então ele se calou.
    NOTA – As conclusões foram excelentes.

  18. Pingback: Manga³ – Mangas Ruins | Ore no Scan·

  19. Isso de ler até o fim porque já leu o mangá até agora acontece comigo com Naruto e Fairy Tail. E Como assim ainda não recomendaram veementemente Hajime no Ippo pra vocês? É definitivamente meu mangá favorito ao lado de Beck( não é o melhor, Monster e 20thcentury são melhores), e, embora tenha 1000 capítulos, passa mais rápido ler eles do que ler um Naruto ou Bleach, porque não fica chato/ruim.

  20. Em relação com quando vocês falam que é nescessario ler algo ruim para saber que o bom é, de fato, BOM… eu concordo…
    Gostaria até de citar uma música:
    (…)
    Se você é feliz demais
    Melhor voltar atrás
    Assim a alma não se satisfaz
    Ser só feliz fugaz
    Pra ter beleza
    É necessário um pouco de tristeza
    Pois só depois de chorar
    É que a felicidade vou valorizar
    (…)
    Felicidade – Marcelo Adnet

    Apesar de boa parte da música ser uma palhaçada; acho que esse verso faz sentido fazendo uma análogia estranha…
    No fim das contas nem eu sei se fui claro… espero que vocês tenham entendido…
    Até…

  21. “Meu nome é Judefina e meu marido me bate e faz insultos a mim. Seu nome é Bleachvaldo. Quando nos casamos 12 anos atrás, naquela época ele era uma boa pessoal, divertido, apesar de suas falhas. Mas com o passar do tempo foi piorando, suas falhas crescendo, e começando a abusar de minha pessoa. Hoje esse abuso chega em níveis absurdos. Eu podia ter me separado de Bleachvaldo em diferentes partes da minha vida, mas apesar de todo abuso, ele ainda me trás flores as vezes, e me mostra ao novo. Apesar de tudo, eu amo Bleachvaldo” – Judeu Estranho, Diários de uma mulher de malandro.

    Brincadeiras serias a parte. Isso de *continuar* com coisas ruim é bem diferente de ler coisas ruins. Tudo uma causa de uma nostalgia atual e uma ligação emocional. Podemos pegar os exemplos dos mangas da Jump, eles não sã “haha manga ruim” e sim um desprezo total ao leitor. Mas como veem de uma época melhor da vida, e comer a mesma merda até virar rotina, acabam apenas tornando eles “haha ruim” *gostando ironicamente*. Afinal, como a mulher de malandro ou uma mãe de um filho delinquente, tiverem boas memorias, então estão dispostos a perdoar.

    Proponho um experimento. Peque algo que lê faz tempo, bastante tempo (5 anos +) e pare de o ler por algum tempo. Isso não fara diferença nenhuma, afinal a obra não vai a nenhum lugar. Agora depois de tempo passado, volte a ler, e talvez veja as atrocidades que estava fazendo. Eu chamo de JA (Jump Anônimos) e funciona muito bem.

  22. Estou escrevendo do tablet entao nao tem acento Judeu sim vale a pena ler Ippo ja que tem um otimo desenvolvimento e lutas epicas menos as do Aoki mas esse e um persnagem que foi feito para ser escrotizado

  23. Eu penso que um manga Ruim e como um ladrão, por que todo o tempo e energia que você investe são roubados! E tudo que resta e uma sensação de desgosto e arrependimento! Vivenciei isto em Blame!, este manga e muito ruim com um final pior e inconclusivo. Alias seus site e seus posts estão estão de parabéns!

    • Viu como é importante viver os mangas ruins? O que alguem diz ser ruim, pode ser lindo para alguém. Eu por exemplo amo Blame, acho uma obra-prima. pois ao meu ver é um manga para ser conteplado, e não para ser entendido. Se eu fosse me guiar por, digamos, uma resenha sua Emerson, com todo rtespeito, ok?, eu acabaria por perder uma dos cenários cyberpunks mais linods que já vi numa obra quadrinistia

      • Discordo em partes. Blame! é uma obra tanto para ser contemplada no cenário artístico, quanto para ser entendida no escopo do enredo. Admito que seja complicado de ser entendida, mas com insistências de pesquisa, você consegue achar todo e qualquer aspecto da obra (quesito enredo) bem detalhado e explicado. E outra, o final não foi inconclusivo [SPOILER]

        Killy aparece na última página atirando com a GBE e levando o garoto portador do Net Sphere Gene. Quer mais conclusivo que isso? Tem ainda a continuação no mangá Net Sphere Gene. [FIM DO SPOILER]

        À proposta do mangá²: Mangás ruins valem a pena serem lidos? Primeiramente, as minhas perguntas: Estamos atribuindo anacronismo a essa questão? E, com ”bom” e ”ruim” estamos nos referindo ao divertido ou relevante? Metropolis é um mangá certamente relevante pro percurso dos mangás e a tipologia quadrinista dos mesmos, sem contar a influência cultural e acadêmica. Agora…é divertido? Eu não acho.

        Mas, claro, uma obra pode ser igualmente relevante e divertida. Sendo essa segunda consideração um juízo de valor opinativo. Essa diversão em sentido geral vai ser atribuída a experiência de leitura, que, por consequente, está atrelada a modernização artística, sendo os mangás mais rusticamente desenhados, um tanto quanto desagradáveis pra um público que não está engajado no meio. E não dá pra dizer que essas obras são ruins. Tem importância de época e revolucionaram ou padronizaram os mangás de um certo modo. (Kinnikuman, Ashita no Joe, Hi no Tori, Kamen Rider, Devilman, Mazinger Z, Hokuto no Ken etc. são alguns de meus mangás favoritos, mas um leitor casual provavelmente não gostaria de nenhum desses)

        A resposta para a pergunta : ”A leitura de mangás ruins pode ser boa?” SIM, em todos os casos. Mas não podemos usar de anacronismo e confundir divertido com relevante. Relevância é sempre bom em sentido geral, divertimento é bom em um sentido pessoal e que concerne a opinião do leitor, e do tipo de leitor. O fato de ser bom, não quer dizer que seja agradável e vice-versa.

  24. o Estranho reclama de ter tido um parto ao ler 7 capítulos seguidos de Nisekoi, e eu que li 35 capítulos seguidos de Nisekoi começando do 27?Tinha horas que eu nem aguentava sequer olhar para o tablet que estava lendo os mangás. Até agora a melhor personagem que achei de Nisekoi foi a mãe da Chitoge.
    Voltando para o assunto, eu leio mangás ruins por dois motivos, primeiro para ficar “por dentro” do que está fazendo sucesso e segundo para ter uma referência de balança para classificar características de mangás e assim, definir um contraste entre mangás bons e ruins. Assim, o melhor tipo de comparação para ver os pontos fortes e fracos de mangás são comparando-os dentro de um mesmo gênero.Embora tem muita coisa que leio/vejo só pela zoeira mesmo, por isso eu só dropo se o anime/mangá realmente estiver de sacanagem.
    Agora um anime que eu continuei a ver até o final mas eu odiei foi Robotics;Notes (Foi um fracasso tanto o game como o anime). E a maior razão do hate é que eu estava com altas expectativas em relação esse anime por causa de Steins;Gate e assim,quando estava no meio do anime e percebi que a história não estava andando mesmo ele tendo começado de forma interessante (Esse anime tem o pior pacing de qualquer obra da humanidade) e assim se tornando um festival de clichês e fillers, o meu hate subiu lá em cima (me matava de rir com os comentários semanais da Roberta do Elfen Lied Brasil dos últimos episódios de R:N). Porém, mesmo não tendo gostado do anime, por causa das referências dentro deste eu comecei a ver Evangelion e Nadia: The Secret of Blue Water (os dois do Hideaki feitos pela GAINAX) e gostei muito. Percebi que era esses dois animes que Robotics;Notes queria ser e falhou miseravelmente e assim, de certa forma, compensou ver Robotics:Notes mesmo sendo ruim.

  25. Tenho exatamente a mesma opinião que o cara da recomendação, Pokémon Adventures é realmente um mangá incrível que vale a pena ver, sem se importar com os games, anime e nenhuma outra mídia, é algo totalmente diferente e mais profundo, é incrível. O melhor arco, eu também concordo com o cara que recomendou, o arco Ruby/Sapphire é demais! O romance entre Ruby e a Sapphire é bem lindo, muito bonito mesmo, e não bobo. Eu, neste momento estou na saga Fire Red/Leaf Green, e admito, o retorno de Red, Blue e Green para o mangá, é simplesmente incrível, não há comparação.

  26. Continuar um manga desagradável é masoquismo mesmo. Sem outra.

    Não concordo muito com essa coisa de mulher de malandro, mas apenas um pouco. Eu mesmo tenho a mania de continuar as obras que pego até o fim. Por pura teimosia mesmo.

    Até hoje só teve um único anime que eu desisti, tinha uns cinquenta episódios, e chegou lá pelo trinta e tantos, e ainda não conseguia ver nada ali que valesse a pena (não tinha nenhuma qualidade e não sentia nenhum prazer em assistir), então parei. Por outro lado, certa vez estava assistindo um OVA de cento e dez episódios, e só comecei a achar bom depois do episódio vinte.

    Acho que o negocio é tentar, independente de gosto, procurar por qualidades nas obras. Se for uma historia que você não gosta, mas que consegue perceber certas qualidades, talvez possa se tornar algo bom.

    Mas, se não gosta, e se não tem nenhuma qualidade, e ainda sim vai continuar insistindo. Ai põe o cuecão de couro, senta no cavalinho de madeira e tome! Deixa o chicote estralar, e a cera quente escorrer, e seja feliz!

    O que tem de errado? A gente perde tempo com tanta coisa idiota mesmo, não tem como passar a vida apenas na boa. As vezes ficar só de bobeira é o melhor, e ler um manga que vai te fazer passar raivinha não doe tanto assim.

    Um tema aparentemente simples, mas tão complexo ao mesmo tempo.

    Ah, só passando pra deixar esta meio que em complemente ao meu e-mail.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s