5 temas que tinham tudo para dar errado e surpreenderam (V. Underground)

Bom, chegou novamente a hora de eu roubar um post do Chuva de Nanquim e subverter para os meus interesses. Acho que isso será mais fácil pra mim do que foi para o Luk, afinal de contas, temas diferenciados são uma das coisas que fazem mangás undergrounds, serem undergrounds. Sem mais enrolações dessa vez, aqui estão cinco mangás que deveriam ter dado errado, mas que brilharam com excelência:

5-Hikaru no Go

Começamos com um repeteco do ChuNan, mas não consegui deixar Hikaru no Go de lado. Um mangá sobre um jogo de tabuleiro para velhos, com regras difíceis de explicar, de desenvolvimento lento e com pouca ação, sendo publicado na maior revista de mangás para garotos… Como algo assim foi se tornar o melhor caso de crescimento de personagem já presenciado em uma obra sequencial? A evolução e capricho na arte por parte do Obata e o planejamento de enredo cuidadoso por parte da Hotta explicam isso, mas só lendo e presenciando o Hikaru se tranformar de um garoto mimado em um jovem-adulto decidido para entender. Mais bajulação minha por Hikaru no Go aqui.

Hikaru no Go foi publicado no Brasil pela JBC

4- Real

Acho que possa ficar parecendo um pouco forçado Real nessa lista. Quando Inoue começou a escrever essa obra, ele já era O Inoue, então é claro que uma obra com esse tema poderia ser desenvolvida brilhantemente por ele, tanto do lado do esporte (Slam Dunk), quanto no lado dos conflitos dramáticos/emocionais (Vagabond).

Mas pra falar a verdade, acho que pouco gente realmente dá o valor que Real merece. Só o fato do autor ter conseguido fazer um mangá sobre cadeira de rodas, não ficar parecendo alguma matéria de jornalista estagiário no Globo Esporte, é um feito quase inacreditável. “Cadeira de Roadas” é uma temática que, talvez, não corra tanto riscos quanto parece, mas pra fazer da forma que foi feita pelo Inoue, isso sim requer maestria e é por isso que Real entra nesta lista.

Review: MU // ChuNan
Download // Online

3- Kokou no Hito

Acho que é simplesmente muito difícil pensar em um mangá de esporte que queira realmente se sobressair depois de Slam Dunk. O mangá de basquete definitivamente marcou uma linha de qualidade e impacto que provavelmente nunca será ultrapassada, qualquer mangá de esporte (sendo isso justo ou não) que saiu depois de 1996 será inevitavelmente comparado com a obra prima do Inoue, é por isso que, por exemplo, Kuroko no Basket sofreu muito pra fazer sucesso na Jump, foi só recentemente que o público resolveu olhar pra ele com: “Tá bom, você não é necessariamente um cópia de Slam Dunk”.

E é por isso Kokou no Hito já começa em desvantagem, qualquer mangá de esporte depois de Slam Dunk vai começar com um pé atrás, mesmo sendo um seinen. Agora, um mangá de esporte, depois de Slam Dunk, sobre montanhismo, adaptado de um livro e com temática existencial… isso requer coragem e muita habilidade. Kokou no Hito entra na lista não só porque tem uma temática diferente, mas principalmente por ter uma temática diferente E uma execução perfeita. Review

Torrent // Online

2- Crimsons

Talvez esteja um pouco cedo, mas acredito que depois de 3 volumes muito concretos já podemos dizer com certa firmeza que Crimson é sim, muito, muito bom. Exatamente, um mangá que começa no maior estilo battle-shounen, só que ao eu em vez de um garoto de 14 anos…. um cardume de salmões, é muito bom. É claro que mais tarde esse battle-shounen acaba se tornando em uma jornada épica sem precedentes, mas só o conceito de DragonBall de peixes já mataria este mangá logo de começo.

O balanço entre dois núcleos separados consistente, os textos criativos e filosóficos no começo e fim de cada episódio, um estilo narrativo que prende o leitor e uma arte que não inova, mas também não deixa a desejar tornam esse mangá com temática bizarra, mesmo que em seu começo, quase um obrigatório para os já aficionados na mídia. Um cult-moderno.

Review

1- Onani Master Kurosawa

Um mangá de produção independente, com temática dramática e conflitos psicológicos… sobre um garoto que se masturba todo dia no banheiro feminino. Não importa o quão bem inúmeros blogs falem bem de Kurosawa, é simplesmente impossível começar a leitura deste mangá sem uma certa desconfiança. É inevitável o: “Isso aqui não pode ser tudo o que falam”. Esse próprio pensamento é um dos trunfos do mangá, o leitor vai com a expectativa baixa e encontra essa maravilhosa obra que explora e disseca os confins do que consideramos o relacionamento humano. Sem nem sombra de dúvida, de todos os mangás que conheço, Onani Master Kurosawa é o que mais tinha pra dar errado, mas deu a volta por cima com a maior maestria.

Review Otakismo // Elfen Lied

Download

Comentem, quais outros mangás deveriam ter dado errado, mas se salvaram por habilidade do autor? Ou não comentem, sei lá, foda-se.

16 Respostas para “5 temas que tinham tudo para dar errado e surpreenderam (V. Underground)

  1. Depois de tão educado pedido, tive que checar minha lista de mangás já lidos ou que ainda estou lendo para procurar bizarrices. E não fiquei muito surpreso ao perceber que todos os que eu poderia indicar para essa lista já estão nela. E mais ainda, quase todos são mangás que comecei a ler depois de saber deles nesse blog. Crimsons é meu preferido dessa lista, aliás =)

    Só o que me restou foram títulos como Cinderalla, Bambi e Arakawa Under the Bridge, mas não acho que eles se enquadrem na categoria “tinham tudo para dar errado”. Não tinham, porque já foram lançados para públicos específicos e entregam exatamente aquilo que se propõe, ao contrário desses que superam quaisquer expectativas.

  2. Acho que o site comeu alguma parte do texto, por que vi um pulo de falando que Slam Dunk é bom para e insuperável para falar de Kuroko começando a aparecer. Então creio que o site comeu a parte que deveria falar que Eyeshield 21 é o melhor manga de esporte já lançado na Jump, mas da para entender, problemas Técnicos.

    • Oh you Rubio…. corrigirei quando eu tiver saco de ler mais 30 volumes de um mangá que provavelmente não é tão bom quando dizem que é.
      Also, o importante as vezes não é o que acontece, mas o que as pessoas pensam que acontece.

    • Eyeshield 21 é um mangá muito subestimado, espero que com o sucesso de One Punch Man a Panini pense em publicá-lo.

  3. Saudações

    Recordo-me da última obra citada, pois eu havia feito um comentário no blog da Roberta.
    E, até hpje, mantenho a ideia de que o fator psicológico é forte e presente em Onani Master Kurosawa.

    E concordo contigo que, dada a premissa da obra citada, a chance da mesma ser mal vista é enorme. Estou ainda na base das resenhas mas, após quase dez meses de ter lido a review no Elfen Lied Brasil e agora com a recomendação do Mangás Undergrounds, a possibilidade de correr atrás de Onani Master ficou maior.

    Gostei muito deste texto.

    Até mais!

  4. Eu estou consideravelmente cansado de ver todo mangá de esporte comparado a Slam Dunk. Eu sei que ele é bom, que é MUITO bom, que talvez seja uma obra-prima inigualável, mas cansa. Sei lá, tentar comparar Kuroko com Slam Dunk pra mim é enxergar apenas (e mal) o básico do básico da premissa inicial. Em Kokou no Hito nem isso é desculpa, cinco minutos de pensamento sobre montanhismo são o suficiente pra descobrir o quanto é diferente de basquete. Nem todo mangá de esporte tem que ser como Slam Dunk (não em qualidade, em abordagem: bom seria se todo mangá fosse tão bom quanto Slam Dunk), e isso é bom.

    Enfim, os dois primeiros lugares são merecidíssimos, sem comentários. Real na minha opinião também é forçar um pouco (não por ser do Inoue, e sim porque acho que o tema por si só é promissor pra caramba). E com isso, Hikaru poderia muito bem ganhar vaga no top3, isso sim é um mangá de esporte que surpreende. Sem contar tudo o que já foi falado, é bizarro imaginar que eu me empolgaria tanto encarando um tabuleiro de um jogo que não entendo, mas aconteceu.

    • Sinceramente? Só coloquei Real porque não tinha mais ideia pro post XD Mas tentei argumentar com isso, concordo que a temática até que é um pouco promissora, mas não se for desenvolvida do jeito que o Inoue fez… ou pelo menos é essa desculpa que eu usei.

      E não queria colocar Hikaru se não em 5º porque já foi usado pelo Chunan, sei lá, também tentei nem me importar tanto com a ordem.

      Esses top5 acabam servindo mais como posts de recomendação do que qualquer outra coisa, por isso coloca os links, sei que muita gente vai começar a ler por meio deste post.

  5. OMK, Hikaru no Go e Real….

    Simplesmente três mangás excelentes, concordo em especial com a primeira colocação, já recomendei a todos os meus amigos. Na verdade acho que esses três estão praticamente no meu Top5 de mangás, embora não tenha terminado de ler todos os capítulos em andamento de Real ainda.

    Acho que OMK vence porque não teve o final cortado de Hikaru, sendo o meu mangá favorito, mas…ainda não li Punpun…

  6. Eu ainda não li tudo q saiu de Oyasumi Punpun mas acredito que esse entrava facil pq e bem diferente de muitos mangas, principalmente o traço.

    Saint Young Man e outro q eu colocaria na lista pois tem um tema religioso (apesar da maioria dos japoneses não ligarem muito pra isso) o q afastaria muita gente, alem de que a sinopse e bizarra…tipo jesus e buda vão passar as ferias na terra em um apartamento munusculo…dependendo da execuçlão acho q não ia sair algo bom

    O mesmo vale pra Detroit Metal City. Tipo o tema não parece ser tão bizarro, o que acredito que engana muita gente (pelomenos meus amigos odeiam pq queriam algo tipo beck…). Muitos palavrões, bizarrises, musicas com letras malignas, nojeras, etc. E algo q com certeza não e pra qualquer um, mas q deu muito certo.

    E po judeo, avisa pro povo q kokou no hito acabou! Eu mesmo so vou ler pq me falaram isso XD

  7. Eu adicionaria nesse lista aí Eden. Apesar de não ser propriamente o assunto dele que seria o que “pode dar errado”, apesar de ser algo que de início pode parecer cliche, mas sim sua ambientação.
    Afinal, quem é o otaku que leria um mangá que se passa na América Latina? xD

  8. Onani Master Kurosawa muito bem posicionado na lista rs É o mangá que não importa de Ângulo se veja, tinha tudo pra dar errado e como colocado aí no texto, converteu essa sensação a seu favor. Porque a surpresa de quem lê e descobre que é bom, se torna bem mais intensa.
    Crimsons (não me atrai) e Hikaru no Go (no Plan read) eu ainda não li.

    Concordo com a presença de Koukou no Hito na lista também, pqp como um protagonista que praticamente nunca fala pode ser tão interessante?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s