Recomendação da Semana: Genkaku Picasso

Há um mangaká relativamente pouco conhecido no ocidente (e que nunca teve uma obra trazida para o Brasil) que possui muitas obras interessantes e bem características lançadas no Japão. Com um traço bastante peculiar na maior parte do tempo, e com muitos desenhos surreais em suas obras, esse autor parecia ser daqueles que jamais seriam vistos publicando algo numa revista popular como as da linha Jump. No entanto, não só isso aconteceu, como resultou numa ótima obra.

O autor é o Usumaru Furuya, e a obra que iremos recomendar hoje é Genkaku Picasso.


Publicado em 2008 na Jump SQ, irmã mensal da Shonen Jump, Genkaku Picasso foi concluído com 3 volumes. O autor, Furuya, também é conhecido por outros títulos relevantes de sua carreira, como a versão mangá de Jisatsu Circle (baseado no filme Suicide Club), No Longer Human (ou Ningen Shikkaku, adaptação de um livro e publicado em inglês pela editora Vertical), Music of Marie e Palepoli (que não me agrada tanto). Aliás, você pode ver as resenhas de Music of Marie e Palepoli aqui no blog.

Infelizmente, não encontrei traduções da obra em português. Mas é possível encontrar para baixar no MangaTraders (precisa ter cadastro pra baixar), mas também é fácil comprar e importar de sites como Book Depository e Better World Books, que não cobram frete para o Brasil. Como o mangá é curto e já está completo nos Estados Unidos, torna tudo mais fácil. Assim, se tiver um cartão internacional e ainda não sabia qual mangá em inglês importar, essa é uma sugestão para começar.


Sinopse

Hikari Haruma possui um grande talento para desenho, e por isso foi apelidado por seus colegas de sala de Picasso. Após sobreviver a um acidente de helicóptero (sim, um helicóptero cai em cima dele!), ele descobre agora ser capaz de ajudar pessoas através de sua arte. Ele é acompanhado por sua amiga Chiaki, que morreu nesse acidente citado, mas retornou na forma de um anjo, que no entanto, só Picasso vê.

Chiaki explica que Picasso tinha morrido no acidente também, mas ela implorou que Deus salvasse a vida de Picasso, pois ele era muito talentoso. Picasso então sobreviveu ao acidente, com a condição de ajudar a vida de outras pessoas pra conseguir continuar vivo.

Picasso acabou adquirindo “poderes” em sua quase morte: ele agora consegue sentir a aura de pessoas que estão com algum problema, consegue transcrever os sentimentos dela pra uma imagem e depois entrar no desenho para entender os sentimentos e dúvidas das pessoas e assim poder ajudá-las no mundo real.

Porque Ler

Parece meio maluca a história, não? Mas ela realmente é. A tradução do nome do mangá é “Alucinações de Picasso“, então todas as passagens de Picasso dentro de seus desenhos são altamente surreais, como se fossem de fato delírios. E isso é só ajudado pelo maravilhoso traço do Furuya, que conseguiu transportar todo o seu surrealismo característico de outras obras para uma revistal altamente comercial como a Jump SQ. Acho inclusive que esse é o melhor motivo para ler a obra: poder ver a arte maravilhosa do Furuya correndo “solta” numa história Shonen. As imagens que ilustram este post são todas desenhos feitos pelo Picasso ao longo da série, e você pode ampliá-las clicando nelas.

Apesar de ter uma característica bastante episódica (um ou dois capítulos para cada “caso” apresentado), a leitura flui tranquilamente; e mesmo com seu curto tamanho de 3 volumes, vemos evoluções significativas nos personagens que são apresentados e passam a se relacionar com o Picasso no resto da série. E muita gente pode pensar que 3 volumes representam “cancelamento” em revistas Jump, mas nesse caso não. Furuya parece ter planejado tudo, ter apresentado tudo a seu tempo, até culminar no último volume que traz diversas reviravoltas e revelações muito interessantes pra história.

Além de tudo, a história levanta (mesmo que de leve) algumas discussões sobre o comportamento e a mente humanas; de como nos sentimos, de como nossos traumas influenciam na nossa vida. Nossos desejos mais internos (que Picasso consegue descobrir com seu “poder”) são o pano de fundo que nos defini como humanos e que explica como somos e porque somos assim; e poder ver toda essa intensidade de sentimentos ser transcrita pra uma imagem, e posteriormente ser destrinchada e explicada profundamente, detalhando cada pormenor da psique dos personagens… isso não algo que costumamos ver em obras comuns, principalmente shonens, e principalmente os mais “mainstreams” (afinal, queira ou não queira, é uma revista de alta visibilidade). Toda essa abordagem proposta por Genkaku Picasso tornam a leitura da obra altamente válida, independente dos gostos particulares.

Genkaku Picasso é sem dúvida uma das melhores séries que passou na curta vida da Jump SQ, e é um bom trabalho introdutório do estilo do autor, que com certeza vale a pena ser conferido.

4 Respostas para “Recomendação da Semana: Genkaku Picasso

  1. Pingback: Outono de 2012: Litchi Hikari Club | Ao Quadrado ²·

  2. Pingback: Mangá² #95 – Mangagrafia: Usamaru Furuya | AoQuadrado²·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s