Entendendo: Table of Contents Parte 2 – Exceções e Datas


Você conhece a Shonen Jump? Você sabe o que é e como funciona a Table of Contents?

Este post irá prosseguir com a série que pretende destrinchar o funcionamento das ToCs da Shonen Jump. Neste post, explicaremos como funcionam as exceções, e quando e como encontrar as ToCs semanais.

(Para melhor entender a parte 2, lembre-se de ler a primeira parte aqui.)


Como falamos no primeiro post, a posição do mangá na revista representa a popularidade da série medida através de cartões de votação, e quanto mais próximo do final da revista a série estiver, maior será o risco de cancelamento desta. Mas existem dois tipos de exceções nessa lógica: posições que não representam popularidade, e posições que, mesmo representando popularidade, não apresentam perigo. Dentre o primeiro grupo, inclui-se One-shots (por motivos óbvios) e séries jovens, possivelmente com menos de 8 capítulos (como tratamos no primeiro post). Mas não é só isso.

 

Exceção 1: Páginas Coloridas

Exemplo de Página Colorida de Abertura

Na Weekly Shonen Jump, existem dois tipos de páginas coloridas: as de abertura, e páginas coloridas no meio da revista. As páginas coloridas de abertura, como o nome explica, estão sempre localizadas no começo da revista. Há um total de 3 páginas coloridas para o mangá que foi “premiado” com elas: normalmente uma página dupla apenas com arte do autor (ou seja, sem conteúdo para avanço do enredo), e uma página simples que normalmente possui alguns quadros fazem parte da história.

Issue Dupla (#05-06) de 1995

Issue Dupla (#05-06) de 1995

Como dito, essas páginas estão sempre no começo da revista e, portanto, a série que tiver as páginas coloridas de abertura da edição sempre estará em primeiro na ToC. Normalmente ter página colorida de abertura também significa que a capa será do mesmo mangá, mas nem sempre isso ocorre. São duas ocasiões que ocorrem isto: quando alguma outra série “rouba” a capa, ou em Issues Duplas (por exemplo, edição #02-03). Issues duplas normalmente saem em semanas que precedem feriados no Japão e representam que não haverá edição da revista na semana seguinte. Mas atenção: isso não significa que saem dois capítulos dos mangás juntos! Só sai um, sempre. Nessas edições especiais, a capa normalmente é comemorativa. No passado, os autores tiravam uma foto todos juntos, mas esse costume acabou se perdendo; atualmente o normal é saírem os protagonistas de todas as séries numa mesma imagem.

Issue Dupla mais recente (2007)

Issue Dupla mais recente (2007)

A outra ocasião, oroubo” de capa, ocorre com pouca frequência (uma ou duas vezes ao ano). Nessa, algum mangá que, mesmo não tendo página colorida de abertura, é a série que estampa a capa da edição. Isso ocorre por decisão editorial, e não sabemos os critérios para tal escolha, mas normalmente ocorrem quando uma série menos popular tem a página colorida de abertura, e os editores possivelmente acham que não vai ter o apelo para os leitores ocasionais; nesse caso, estampam alguma série mais consagrada na capa para chamar mais a atenção. Mas é necessário atentar-se pra outra questão: se a série que roubou a capa não tiver página colorida na edição, ela estará contando no ranking da ToC. Isso é facilmente observável, pois cada vez que ocorre um desses “roubos”, a série que ganhou a capa nunca está numa posição privilegiada na revista, e nunca é uma posição fixa (as vezes no começo da revista, às vezes no final).

Table of Contents. Kuroko no Basket e Gintama

Table of Contents. Kuroko no Basket e Gintama “destacados” por terem página colorida

O outro tipo de página colorida da revista são as mais comuns, de uma página normalmente, que tem posições mais ou menos fixas na revista, e variam de acordo com a quantidade de séries com páginas coloridas que tem na edição. Essa quantidade varia de acordo com a necessidade; na época do tsunami no Japão, que muitas gráficas foram afetas e a economia sofreu uma pequena retração, a Shonen Jump diminuiu o número de séries com página colorida para uma só (a que tinha a de abertura); em outras ocasiões, a quantidade varia de 2 a 5, normalmente sendo 3. Independente do número, todas as séries que tem páginas coloridas na edição não estão sendo classificadas, por serem “fixas” na revista (e na ToC a posição delas estarem destacadas das outras).

 

Exceção 2: Séries Intocáveis

Existem diversos títulos na Shonen Jump que podem ser consideradas “imunes” ao ranking da revista. O título KochiKame, por exemplo, que é o mais antigo da revista (há mais de 35 anos em publicação semanal, sem uma pausa), não deve ser cancelado por baixa popularidade; de uma forma ou de outra, sempre terá seu público cativo e seu longo tempo de sobrevivência é um marco único na revista, que não provavelmente não deixará a série acabar por outros motivos que não a vontade do autor.

KochiKame é um caso específico e único, porém existem outras séries que obtiveram (e qualquer uma a qualquer momento pode obter) um “escudo” contra a votação; essas séries conseguem sobreviver, mesmo com posições péssimas nas ToCs, baseadas exclusivamente na venda dos volumes encadernados. Muitas séries se encaixaram nessa categoria: Hunter X Hunter, D.Gray-man (quando ainda estava na Jump semanal), e mais recentemente, Nurarihyon no Mago. Por terem uma venda relativamente grande em comparação com outras séries com baixa popularidade da revista, possuem um “favorecimento” na decisão dos cancelamentos.

To Love-ru, sobrevivente misterioso

To Love-ru, sobrevivente misterioso

No mangá Bakuman, mangá com uma história fictício de autores publicando na Shonen Jump, os autores quantificaram o número de volumes vendidos necessário para sobreviver, independente da posição: 500 mil exemplares. Porém esse número gera controvérsias com o que vemos nos rankings semanais da Oricon (que cataloga o número de pedidos feito pelas lojas que vendem mangás, nos dando assim um ranking de “venda”): nos rankings semanais, poucas séries da Jump se dão ao privilégio de alcançar este número; Hunter X Hunter passa com folga, mas D.Gray-man apenas chega perto, poucas vezes ultrapassando o número.

Assim, essa “exceção” é bastante nebulosa. Um caso famoso e recente de série que pegava constantemente a última posição nas ToCs mas não era cancelado é To Love-ru. A série inclusive é comentada em Bakuman, que justifica a baixa votação dos leitores por causa do caráter erótico do mangá. No entanto, não se sabe exatamente o que mantinha a série viva; alguns especulam que eram os números de vendas, mas no entanto To Love-ru tinha vendas não muito expressivas para ser considerado sucesso (bem menos de 200 mil exemplares, que é muito menor que o número “mágico” citado em Bakuman). Portanto, fica difícil afirmar qual é de fato o número de vendas “mínimo” para garantir a sobrevivência, mas uma coisa podemos ter certeza: a Shonen Jump não cancelaria Hunter x Hunter (com mais de 1 milhão de exemplares por volume lançado) para dar uma chance à uma série novata que vende menos de 60 mil e vai mal nas votações semanais. Assim como não cancelaria Nurarihyon no Mago e seus quase 300 mil (um número impressionante pra uma série com tão pouca receptividade na Jump e feita por um autor novato) em favor dessa mesma série novata de 60 mil.

Hunter x Hunter e vida garantida

Hunter x Hunter e vida garantida

Mas pode ter certeza que se a disputa de cancelamento fosse entre Mago e HxH, com certeza o primeiro seria cancelado. Assim, podemos apenas imaginar que existem três estados que os mangás conseguem alcançar com as vendas de seus volumes: 1. vendas normais que não influenciam no cancelamento; 2. vendas grande o suficiente para ser um fator positivo na escolha do próximo cancelamento (possivelmente To Love-ru se encaixava aqui: enquanto houvesse alguém tão ruim nas votações quanto ele, mas com vendas significativamente menores, a série estaria salva); e 3. vendas grande o suficiente para manter a série à salvo, independente de sua situação na revista. O mistério fica para quais são os números necessários para atingir cada estágio; aqui só podemos especular, mas a experiência e o bom senso nos dizem algumas coisas, como os exemplos citados acima.

Agora que já sabemos tudo isso sobre a ToC, resta saber onde encontrá-la.

 

Como, Quando, Onde?

As ToCs saem impreterivelmente junto com o lançamento da edição da Shonen Jump, e ela é publicada quase toda segunda-feira, salvo semanas posteriores a Issue dupla, quando não sai; ou raras exceções que a revista sai em algum dia diferenciado. No entanto, a Shonen Jump tem lançamento nacional simultâneo, e não pode atrasar em nenhuma cidade do país. Para isso acontecer, é necessário imprimir e enviar as revistas com antecedência para as cidades mais distantes, e é aí que a comunidade internacional recebe as informações.

De forma geral, algumas lojas recebem a revista na quarta-feira anterior ao lançamento da revista. O orientação para os lojistas é que não seja vendido até a data prevista. No entanto, algumas pessoas que não se identificam na internet  (claro) tem acesso à revista nesse dia e publica na internet a ToC, junto com a imagem da capa de vez em quando, e os spoilers dos capítulos que saíram na revista. Algum tempo depois, os scanlators tem acesso aos scans dos mangás e fazem todo o trabalho que a maioria dos que acompanham conhecem, publicando o conteúdo traduzido ainda no mesmo dia (ilegalmente, lembrem-se bem).

Assim, de uma forma geral, conseguimos ter acesso às ToCs semanais na quarta-feira anterior ao lançamento da revista (irônico que muita gente no mundo obtém essa informação antes dos japoneses que compram a revista na data correta). O local original de postagem normalmente é o fórum japonês 2channel (ou 2ch), semelhante ao 4chan, com posts anônimos e assuntos diversos. Aliás, como curiosidade, é o mesmo fórum que tem um papel fundamental na história real que originou no livro (e posteriormente mangás, dorama e filme) Densha Otoko, ou Train Man.

Nesse fórum, toda semana alguns poucos membros já conhecidos como fontes “seguras” postam a ToC semanal. Se você entende japonês, pode se aventurar buscando o tópico. Mas de qualquer forma, pouco tempo depois essa ToC é traduzida e reproduzida para outros diversos sites em inglês; um dos primeiros que reproduzem esta informação é o fórum MangaHelpers, no seu tópico de discussão da Shonen Jump. Além disso, um grupo do LiveJournal voltado para Shonen Jump também posta a ToC (antigamente postava antes do MangaeHelpers, no entanto hoje em dia posta com relativo atraso). Como sugestão pessoal, acessar o MangaHelpers é mais do que o suficiente para estar antenado nos lançamentos das ToCs, dada a velocidade de reprodução.

 

Por Guilherme “Estranho”

Uma resposta para “Entendendo: Table of Contents Parte 2 – Exceções e Datas

  1. Pingback: Razões de uma obra decair com o tempo «·

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s