Jabberwocky

Uma mistura bizarra entre O Código Da Vinci, Sin City e Jurassic Park, conheçam: Jabberwocky.

A trama do mangá se passa num “passado alternativo” não determinado, mas provavelmente entre o final dos século IXX e começo do XX, neste cenário somos apresentados à Lily Apricot, uma agente secreta a serviço do Governo Britânico enviada ao, ainda existente, Império Russo com a missão de matar um rebelde chamado Ivan Dorohov e recuperar o roubado Santo Globo. Só que as coisas não serão nada como a agente esperava, e entre várias surpresas ela acaba se envolvendo com várias organizações secretas, clans de dinossauros e várias teorias de conspiração.
Este mangá é único, acho que esse é o mais marcante aspecto que posso citar da obra, e isso não é algo muito difícil de reparar, logo na capa já temos a impressão de que seremos apresentados à algo fora do comum, impressão essa que não é decepcionada pelo conteúdo, a começar pela arte de Misato Hisa.
Logo nas primeiras paginas já somos apresentados à esse estilo artístico, algo diferente que parece que foi tirado de algumas páginas de Sin City, mas adaptado ao próprio estilo da Mangaka, é realmente algo único, e apesar de algumas cenas, principalmente as de ação, serem um pouco confusas, isso acaba por não ser um problema grande, já que esse mesmo aspecto “underground” acaba agradando bastante aos olhos e sem perceber acabamos por ter vontade mesmo de desvendar as paginas, em algumas páginas fiquei minutos tentando decifrar o que estava acontecendo, mas não de forma desagradável, exatamente o oposto, é divertido.
De qualquer forma, como sempre, uma arte não sustenta nada sozinha e Jabberwocky também não decepciona no enredo. Certamente, a melhor forma de se ler este mangá é com o google aberto do lado, é simplesmente incrível e admirável a quantidade de referências históricas e paleontológicas (você vai entender quando ler) precisas presentes nesse mangá, de forma que a sensação que fica é que mesmo tendo um conhecimento médio, estou perdendo vários detalhes interessantes.
O mais interessante de toda essa informação cultural é que ela não atrapalha de forma alguma a dinâmica do mangá, desenvolvimento de enredo, ação, romance e até humor são divididos em tom de igualdade na trama, até chegam a se misturar em vários momentos, e afinal de contas não é assim que tem que ser mesmo? Não é atoa que o mangá é comparado com o Código da Vinci, o livro/filme tem esse mesmo carácter de batalhas psicológicas sendo travadas ao mesmo tempo de batalhas físicas enquanto um grande cenário de conspiração é construído por trás, Jabberwocky é assim também, só que em vez do pintor e inventor, temos dinossauros.
Um detalhe interessante é que o glossário no final de cada volume é extremamente agradável de se ler, revela várias curiosidades e frases mencionadas por personagens da trama, que na verdade são de grandes personagens históricos. Só pra ter uma noção, até possível prever acontecimentos da trama só lendo um pouco sobre alguns famosos da história que aparacem, alias são vários os que aparacem, desde Tesla e Galileu, até Mao Tsé-Tung e  Heinrich Schliemann, e tudo congruente e preciso com os períodos históricos, percebe-se que a autora fez bastante pesquisa antes de começar a escrever.
O único ponto negativo é que infelizmente o mangá ainda não foi scaneado por completo, tendo disponíveis no momento somente 3 volumes de 7, mesmo assim não acho que isso seja motivo pra deixar de se ler Jabberwocky, os volumes são bem dinâmicos e passam bem rápidos, valem a pena por si próprios e pela experiência diferenciada. No entanto, não vou negar que você talvez possa começar a ler uma mangá que só vá terminar de ler daqui há alguns anos.
Enfim, Jabberwocky  é uma mistura maluca entre, Sin City, O Código da Vinci, A Liga Extraordinária, Jurassic Park e Carmen SanDiego, etnão se você gosta de qualquer uma dessas obras, ou simplesmente quer ler uma história única e emocionante, então….
Eu te recomendo o incrível Jabberwocky.

5 Respostas para “Jabberwocky

  1. Olá!Primeira vez que entro aqui.O nome Jabberwock me chamou a atenção por ser o nome de um personagem de Project Arms,então vim conferir sabendo obviamente que não se tratava do mesmo personagem.A "premissa" do review é bem atrativa requerendo e desenvolvendo conhecimento nos leitores mais insaciáveis,porém parece mesmo que continuará no underground por nem ter sido escaneado por completo ainda(o que não é necessariamente um obstáculo para um leitor habitual,esforçado e curioso).Interessante orientação do site à esquerda e dimensionamento entre texto com imagens expressivas são minhas primeiras impressões.Vlw!

  2. @anonimoMuito obrigado pelos elogios, fico feliz que o meu "trabalho" tenha sido apreciado :DAqui meu lema sempre foi "Recomendações boas em textos ruins", espero que tenha gostado e que volte pra conferir mais.

  3. Aqui vai um adendo: Achei que só havia um modo de visualização,o Sidebar,e fuçando mais um pouco descobri mais 7 outros.O que em organização textual torna a experiência ainda mais personalizável e estimulante.E caso 'vasculhe mais' por aqui devo comentar. :}

  4. Faltou dizer que "Jabberwocky" é o nome de um poema do livro "Alice no Páis do Espelho", de Lewis Carroll. No Brasil, o poema ficou com o título de "Jaguadarte".Sei que não é diretamente relacionado com o manga, mas esse tipo de coisa é interessante de se dizer.

  5. @ RocketWobbuffetInteressante observação.E também parece notável a fascinação de alguns animes pelos temas relacionados à "Alice no país das maravilhas" como em Pandora Hearts,Project Arms etc.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s